Aterro sanitário de Conquista avança rapidamente para fim da vida útil

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 01 jun 2016

Tags:, , ,

por Mateus Novais

Trato PMVC

Construído em 2009, o aterro sanitário de Vitória da Conquista está chegando muito rapidamente a metade de sua expectativa de vida útil. No ritmo que se encontra, um dos maiores e mais modernos depósitos de lixo do país alcançará sua capacidade total no prazo mínimo de 15 anos. Para especialistas, o sinal de alerta já este ligado há muito tempo e a atual forma de gestão do aterro não dá sinais de que este cenário vai mudar.

IMG_0136Diariamente, cerca de 300 toneladas de lixo são encaminhadas ao local. Todos os resíduos são aterrados sem que haja um processo de separação dos resíduos. Na mesma vala, são misturados o lixo orgânico e o sólido, independentemente do tipo de material. Somente o material hospitalar recebe uma atenção especial, com local diferenciado. “Se você for lá hoje certamente você vai encontrar geladeira, fogão, sofá e lixo doméstico. Ou seja, não é um lixão controlado”, queixa-se o professor da UESB, Rubens Sampaio (foto), especialista em Resíduos Sólidos. O pesquisador ainda estima que apenas 5% do lixo coletado em Conquista seja reutilizado.

O problema também é observado pela engenheira sanitarista da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, Márcia Amaral. Para ela, Vitória da Conquista está “enterrando uma riqueza”. “O material orgânico representa, hoje, 60% do lixo que está sendo enterrado. Mas com o lixo orgânico se faz o adubo. O aterro deve receber o que não presta para nada, separando a matéria-prima. Não podemos enterrar riquezas”, avalia Márcia. Com isso, a engenheira sanitarista acredita que a vida útil do aterro de Conquista aumentará e novas valas, como a que está para ser aberta, demorem em ser feitas.

Outro problema enfrentado pelo município é a existência de lixões por diversos pontos da cidade. Uma pesquisa, de 2012, realizada pela Universidade Estadual do Sudoeste identificou 17 lixões clandestinos na área urbana.

IMG_0139Débora Cristina Rocha (foto), arquiteta e urbanista da Secretaria de Infraestrutura e Urbanismo, admite a dificuldade em controlar os pontos clandestinos de descarte de lixo, mas apontou que “o resíduo sólido é um dos eixos do desenvolvimento urbano que mais tem absorvido recursos municipais”.

Segundo os cálculos do professor Rubens Sampaio, o município gasta em torno de R$ 3,4 milhões por mês apenas com a gestão do lixo, que vai desde o pagamento da empresa que faz a coleta até capinagem de ruas. “Por ano, o orçamento gira em torno dos R$ 40 milhões. A gestão dos resíduos sai mais barato do que negligenciar o problema”, afirma Sampaio.

Para a Secretaria de Infraestrutura e Urbanismo, o município não tem carência de legislação, a atual é apontada como uma das melhores do mundo. Uma das soluções apresentadas pela Secretaria é o Plano Municipal de Saneamento Básico, que prevê diretrizes e soluções para resíduos, drenagem, abastecimento de água e esgotamento sanitário. “Temos carência de cultura de planejamento e disposição de recursos para executar as tão sonhadas alternativas discutidas ao longo tempo, inclusive com as universidades”, diz Débora Cristina.

Uma das pontas dessa solução é apresentada pela Associação Indústrias Produtoras e Processadoras de Plásticos. Segundo a associação, 400 toneladas de plástico são processadas mensalmente no município, sendo transformados em materiais como mangueira, sacola e garrafa para produtos de limpeza. O presidente da associação, Walles Hebder Soares, afirma que o município tem a possibilidade de aumentar consideravelmente a quantidade de material processado caso haja uma parceria entre o Poder Público e as indústrias. “Poderíamos aumentar o índice de reaproveitamento dos resíduos da produção, gerar mais empregos e trazer melhorias para a cidade”.

Lixo avança na zona rural de Vitória da Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 22 abr 2016

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

IMG_1904

O descarte de entulho continua avançando pela zona rural de Vitória da Conquista. No mês de setembro do último ano, o BLOG DA RESENHA GERAL mostrou a situação vivida por moradores do Povoado da Choça, que têm resíduos sólidos descartados na porta de suas propriedades. E, sete meses, depois, o problema só se agravou.

IMG_0430

Os moradores da Choça voltaram a entrar em contato com a redação do BRG, com fotos que demonstram o desrespeito ao meio ambiente. Nas fotos, é possível ver o avanço do entulho sobre a estrada que dá acesso à localidade, que fica próximo à Lagoa das Flores.

“Esse cascalho foi colocado pela Prefeitura ano passado para arrumar a rua. E está aí até hoje, só juntando lixo residencial, bicho morto, ratos mortos, escorpiões e muitas outras coisas”, reclama Elizete Barros, dona de um sítio no local.

Descarte irregular de lixo continua gerando problema em Vitória da Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 02 set 2015

Tags:, , ,

banner_shop_05

por Mateus Novais
foto: WhatsApp BRG

IMG_4761Estrada do Povoado da Choça antes do entulho

Uma das cidades onde mais se constrói no Nordeste, Vitória da Conquista, sofre com os benefícios do desenvolvimento propiciado pela construção civil. Enquanto um bom número de empresas faz sua parte reutilizando material ou descartando seus resíduos em locais adequados, outra parcela insiste em desrespeitar a lei, contando com a deficiência da fiscalização.

Esses problemas de descarte irregular de resíduos se tornam mais evidentes em comunidades rurais mais próximas da área urbana da cidade, como no Povoado da Choça. Moradores dessa localidade encaminharam para a redação do BLOG DA RESENHA GERAL um flagrante desse desrespeito ao meio ambiente. Nas fotos encaminhadas pelos moradores, é possível ver o antes e o depois de uma estrada vicinal do povoado, próximo ao bairro Lagoa das Flores.

lixoEstrada do Povoado da Choça depois do entulho

“De um lugar bastante agradável, onde o único transtorno que tínhamos era o da força da natureza, que trazia uma paisagem diferente a cada estação e, de uma forma ou de outra, gostávamos do resultado! Hoje, infelizmente, o único sentimento que temos é o de indignação ao ver o descaso de algumas empresas com o meio ambiente, pois este lugar virou um verdadeiro lixão”, conta Elizete Barros, dona de um sítio no local.

Segundo dona Elizete, ela e seus vizinhos denunciaram o fato às secretarias de Serviços Públicos e de Meio Ambiente. Porém, só depois que os próprios moradores identificaram o autor do descarte, que foi notificado. Mas o responsável pelo descarte acabou passando uma máquina no local, que só fez espalhar o entulho.

Ainda assim, o problema do descarte irregular de material não parou. “O lixão continua crescendo, são materiais de construção, lixo residencial e, até, animais mortos que jogam aqui. E nossas propriedades sendo invadidas por todo tipo de bicho peçonhento”, desabafa dona Elizete.

lixo 2

Para tentar controlar problemas como o que é vivido pelos moradores do povoado da Choça é que a Câmara Municipal de Vitória da Conquista realizará, na próxima quinta-feira (3), uma Audiência Pública. Os vereadores Gilzete Moreira (PSB), Adinilson Pereira (PSB), Cícero Custódio (PV) e Juvêncio Amaral (PV), que propuseram a evento querem encontrar soluções viáveis à destinação dos resíduos sólidos na cidade, como insumos para outras atividades. “Aqueles resíduos gerados nas residências, e que são recolhidos periodicamente pelo serviço de coleta da cidade, além da sobra de varrição de praças e locais públicos, que podem incluir folhas de arvores, galhos e restos de poda, podem ganhar uma nova finalidade”, argumentam os vereadores.

A Audiência ocorrerá no plenário da Câmara, a partir das 19 horas.