Servidores paralisam atividades e sepultam a Uesb, no centro de Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Educação | Data: 20 ago 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

IMG_7663

Os servidores técnico-administrativos da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) paralisaram as atividades nesta quinta-feira (20) e realizaram um ato simbólico em defesa das instituições de ensino superior do estado. Os profissionais “sepultaram as universidades estaduais”. Desta vez, a mobilização não fechou os portões da universidade, somente as atividades administrativas foram suspensas.

O ato público aconteceu na Avenida Lauro de Freitas e Praça 9 de Novembro, às 14 horas. Com cânticos fúnebres e roupas pretas, o cortejo percorreu toda a extensão do terminal de ônibus. Em Itapetinga, a categoria realizou um café da manhã e uma reunião. Já em Jequié, a mobilização foi no portão da instituição de ensino.

IMG_5228

Segundo a Associação dos Servidores (Afus), o corte no adicional de insalubridade de parte dos funcionários se tornou uma das principais bandeiras da categoria. “Sessenta por cento do salário de julho de alguns trabalhadores não foi repassado e o mesmo deve acontecer em agosto. O corte foi aleatório e só afetou os servidores da Uesb. São cerca de 70 pessoas e suas famílias afetadas diretamente com esta ação do Governo do Estado”. A Uesb, agora, terá que comprovar que estes funcionários ocupam função insalubre.

Servidores sepultam a Uesb

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Educação | Data: 04 ago 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

DSC_0649

Os servidores públicos da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) realizaram um ato simbólico em defesa das instituições de ensino superior do estado. Os profissionais “sepultaram as universidades estaduais”.

O ato público aconteceu nesta terça-feira (4), no campus da Uesb de Vitória da Conquista. Com cânticos fúnebres e roupas pretas, o cortejo percorreu toda a extensão da universidade.

DSC_0653

Os técnico-administrativos ameaçam deflagrar greve caso o governo não negocie a alteração da Lei 7.176/97, que dispõe sobre estrutura, funcionamento e organização das Universidades. A manifestação também ocorreu nas outras três universidades (Uesc, Uefs e Uneb).