Jequié: Tânia Britto reassume prefeitura do município após decisão do TJ-BA

0

Publicado por Editor | Colocado em Sudoeste | Data: 09 ago 2016

Tags:, ,

Da Redação

TaniaCamara
A prefeita afastada de Jequié, Tânia Britto (PP) foi reintegrada ao cargo na tarde desta terça-feira (9). Brito volta a assumir o cargo de prefeita, após uma decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), assinada pela desembargadora Maria do Socorro Santana Barreto, suspendeu os efeitos da decisão anterior que afastou a gestora por 95 dias.

Britto retornou ao gabinete após comparecer ao cartório da 2ª Vara Cível para receber a notificação do parecer. A prefeita foi afastada da gestão municipal em dezembro do ano passado após determinação da Justiça, mas conseguiu retomar ao cargo. Em maio, devido a mais uma decisão judicial, Tânia deixou o comando do município de Jequié e o vice-prefeito, Sérgio da Gameleira (PT), assumiu o executivo municipal.

Tânia Brito e o ex-secretário de educação do município, João Magno Chaves, são acusados de não repassar informações sobre a quantidade de escolas e alunos prejudicados pelo atraso das aulas municipais na cidade em 2015, devido a uma série de irregularidades. Segundo o Ministério Público, que pediu o afastamento da prefeita, sua permanência no cargo poderia atrapalhar as investigações.

Vereadores de Jequié aprovam pedido de impeachment da prefeita Tânia Britto

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Sudoeste | Data: 02 dez 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

TaniaCamaraPrefeita de Jequié, Tânia Britto, lê mensagem para vereadores na Câmara Municipal

Na noite desta terça-feira (1° de dezembro), os vereadores do município de Jequié aprovaram por unanimidade o pedido de impeachment da prefeita Tânia Britto (PP). O pedido foi apresentado por um morador da cidade, de nome Rafael Pereira dos Santos. A denúncia se fundamenta na má gestão da Educação, feitas pelo MP na semana passada, que culminou na exoneração do secretário responsável pela pasta.

Após a abertura do processo, uma Comissão, formada pelos vereadores Tinho (PV), Chico de Alfredo (PDT) e Beto de Lalá (PSB), foi sorteada para analisar as denúncias. Os parlamentares terão o prazo de até 90 dias para apresentarem um parecer. Após esta etapa, os vereadores votarão o parecer da Comissão, se posicionado de forma favorável ou contraria à cassação.

Segundo o site local GiCult.com, há entre os vereadores um forte posicionamento a favor do afastamento de Tânia e pela posse do substituto legal, o vice-prefeito Sérgio da Gameleira (PSB).