Treinador de boxe de Cigano, Luiz Dórea explica derrota e diz: “foi o dia de cair, o dia de Cain”

0

Publicado por Editor | Colocado em Esportes | Data: 31 dez 2012

Tags:,

Entrevista concedida ao Portal Vale Tudo

Como viu essa derrota de Cigano?

Estou muito triste, Cigano rendeu bem nos treinamentos, se dedicou. Cain foi feliz, conseguiu colocar sua tática. Nosso trabalho era defender a queda e golpear. A única forma de parar o jogo de Cain é desferindo golpes. Mas como só defendíamos e não colocávamos golpes efetivos, o Cain continuou vindo para frente, insistindo. A isometria (força) usada para evitar as quedas desgastou muito o Cigano, então o Velasquez pressionou, não foi inibido. Quando foi atingido, Cain diminuiu o ritmo. Ele errou a tentativa de queda algumas vezes, mas sai sem ser punido por golpes. Não podia ficar à vontade.

Acha que aquele direto no primeiro round determinou o resultado da luta?
Aquele golpe mudou o rumo da luta. Cigano caiu, e o Velasquez veio por cima batendo. Cigano estava muito bem treinado, mas Cain estava no dia dele. Fomos preparados para sofrer pressão, o Cigano aguentou cinco rounds, estava treinado para isso, mas não conseguiu encaixar os golpes que sabe. Mas estou orgulhoso da garra que Cigano mostrou.

E como está Cigano agora? Conformado?
Cigano estava muito triste, mas estava confiante de que daria a volta por cima, e recuperaria o cinturão. E confio nele! Cain é grande atleta, está de parabéns, sabíamos que a derrota poderia vir. Cigano aprendeu muito nessa luta. Cain movimentava a cabeça e os upper’s passavam, cruzados e diretos também. Se defendeu muito bem e atacou muito. Cigano se preocupou com as quedas e ficava com as mãos baixas para defender. Infelizmente tudo foi diferente por causa daquele golpe.

A guarda baixa de Cigano foi muito criticada, apesar de ele sempre lutar assim…
O jogo de Cigano é aquele, ele não trabalha com bloqueio alta, é a linha de boxe dele, é a identidade dele. O problema do Cigano foi o jogo de pernas. Quando se usa guarda baixa, você tem que trabalhar com deslocamentos. Quando Cigano levou aquele golpe, perdeu a velocidade das pernas. Ele ainda estava com a guarda baixa, mas com pouca movimentação. Virou alvo fixo, e aí os golpes foram entrando.

Espera a revanche logo ou não tem pressa?
Estamos tranquilos. Fizemos bom trabalho, levamos atletas de alto nível, como Ronny Markes, Glaube Feitosa, Ewerton Teixeira, Erivan Conceição. Tinha também Andre Piccoli na preparação física. Ramon e Yuri ajudaram muito também. Para resistir o que ele resistiu tinha que estar bem preparado. Ou nós iríamos boxear, golpear, e cair muito, ou o Cain iria conseguir as quedas o tempo todo. Foi o dia de cair, e o dia de Cain. Cigano mostrou garra de campeão, e estaremos preparados para o que o UFC quiser.

Os comentários estão encerrados.