Uesb aprova primeiro Mestrado em Educação Física da Bahia

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Educação, Geral, Sudoeste | Data: 08 jan 2020

Tags:, ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner_e2_piscina-3.gif

Ascom/UESB

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) inicia 2020 com uma grande novidade. Em mais uma ação de consolidação do seu papel de referência em pós-graduação no estado, agora a instituição tem a aprovação do Programa de Pós-Graduação em Educação Física (PPGEF), no campus de Jequié. Associado com a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), o Programa tem a Uesb como instituição de ensino superior principal, no entanto, conta com estruturas montadas para atender os alunos nas duas universidades. Cada estudante será vinculado à instituição, de acordo com o seu professor orientador.

“O PPGEF no estado é uma demanda de muitas décadas. A Bahia agora contará com um Mestrado que possibilitará a continuidade dos estudos dos profissionais de Educação Física e de áreas afins”, explica o coordenador do Programa na Uesb, professor Saulo Rocha. De acordo com ele, o Programa será voltado também para graduados em outros cursos, que desenvolvam pesquisas na área de concentração “Movimento Humano e Saúde”.

A proposta é “buscar ampliar a compreensão de fenômenos relativos ao movimento humano em diversas expressões e inter-relações com aspectos associados à saúde em diferentes populações”, delimita o coordenador.

Primeira turma – A previsão é de que a seleção para a primeira turma do Mestrado em Educação Física seja realizada neste ano de 2020. Segundo o professor Saulo, as orientações para o processo seletivo já estão sendo discutidas pelos membros do Colegiado do curso, que definirão também o cronograma.

“A aprovação do Programa de Pós-Graduação em Educação Física representa uma mudança na formação em Educação Física no estado, que impactará positivamente na qualificação dos profissionais e estimulará a implantação de cursos da área nas universidades públicas da Bahia”, avalia o professor.

Os comentários estão encerrados.