Bahia fica entre piores em avaliação de alfabetização do MEC

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Educação | Data: 18 set 2015

Tags:, , ,

Correio 24h

educacao_pmvc-51

Quase 76% das crianças baianas que cursam o 3º ano do ensino fundamental (8 a 9 anos) na rede pública apresenta nível baixo de leitura. Nesse quesito, Bahia só está melhor que Pará, Alagoas, Amapá, Sergipe e Maranhão. É o que dizem os resultados da Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA), divulgados nesta quinta-feira (17) pelo Ministério da Educação (MEC).

A prova, realizada no fim de 2014 em todo o Brasil, testa as crianças em leitura, escrita e matemática. A partir dos resultados, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), administrador do exame, divide cada habilidade em uma escala de quatro ou cinco níveis e divulga a porcentagem de crianças em cada nível.

Na Bahia, 76% das crianças estão nos dois níveis mais baixos da leitura. Isso significa, por exemplo, que elas não conseguem localizar uma informação no meio de fragmentos de literatura infantil. As crianças que estão no primeiro nível, 38% do total, não conseguem inferir piadas em histórias em quadrinho.

Quase 78% das crianças baianas estão nos dois piores níveis de matemática. Elas não possuem a habilidade de analisar informações em gráficos de barras, ou realizar subtrações com um valor de três algarismos. O nível de escrita é melhor, com 41% nos dois níveis mais baixos.

A Bahia aparece abaixo da média brasileira e nordestina em todos os quesitos. Em um ranking somando-se os dois melhores níveis, o estado aparece em 22º na leitura (24%), 19º em escrita (45%) e 21º em matemática (22%). O Ceará é o melhor estado do nordeste, aparecendo em 6º, 13º e 8º, respectivamente.

Salvador não aparece na lista das melhores da Bahia, mas aumentou seus índices entre 2013, ano da primeira ANA, e 2014. Seguindo o mesmo critério de somar os dois melhores níveis, 27% das crianças da rede municipal estão na melhor faixa da leitura, contra 23% em 2013. Em matemática, 25% das crianças está nos dois níveis mais altos, contra 23% em 2013.

Veja neste link a lista dos estados, com a soma dos dois níveis mais altos em cada quesito.

Os comentários estão encerrados.