Câmara discute mudança do perfil do Hospital Afrânio Peixoto

0

Publicado por Editor | Colocado em Saúde | Data: 04 abr 2017

Tags:, ,

Da Redação


Na noite dessa segunda-feira (03), a Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista realizou uma audiência pública para discutir a mudança de perfil de atendimento do Hospital Estadual Afrânio Peixoto. O encontro contou com a participação de membros do poder público e representantes da sociedade civil, além de funcionários e familiares de pessoas com sofrimento mental.

O Hospital Afrânio Peixoto atende Vitória da Conquista e mais 104 municípios cadastrados do sudoeste do estado, além de cidades do oeste e sul da Bahia e norte de Minas Gerais; oferece atendimento das emergências psiquiátricas, consultas eletivas multidisciplinares; visitas domiciliares; atendimento aos familiares dos pacientes; realização de laudo e perícias; e internamento de casos agudos e crônicos, ou seja, pacientes em situações que não podem ser manejadas em casa ou nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). De acordo com a representante dos funcionários do Afrânio Peixoto, Lívia Vasconcelos, o hospital efetua cerca de 2 mil consultas mês, demanda mais complexa que não é assimilada pela rede municipal. Além disso, segundo Vasconcelos, o Afrânio é referência em educação, tanto na área médica para estudantes de medicina como para outras áreas – Enfermagem, Farmácia, Nutrição.

A presidente do Conselho Municipal de Saúde, Monalisa Barros, presente na audiência, destacou a importância de se abrir para o debate uma questão tão relevante como essa. “A reforma precisa ser debatida, precisa passar pelo Conselho Municipal de Saúde, que não foi consultado pelo Governo do Estado, precisa ser tratada com a sociedade e ser construída coletivamente junto com profissionais, familiares de pacientes e todos os setores que hoje respondem por essa política”, afirmou.

Já administração municipal, representada pela coordenadora de Saúde Mental, Thayse Fernandes, ressaltou que recebeu a notícia do fechamento do Afrânio com grande impacto. Ela salientou que dos 19 municípios da região atendida pelo equipamento, apenas nove possuem, ao menos, um CAPS, um panorama de rede de saúde restrita que avança lentamente.  “A gente tem outros 10 municípios sem nenhum equipamento de saúde mental instalado”, detalhou. Em relação à rede de saúde mental de Vitória da Conquista, a coordenadora destacou que a mesma está sendo reestruturada, independentemente das questões relacionadas ao Hospital Afrânio Peixoto. Segundo ela, a a atual gestão encontrou os espaços destinados ao atendimento de pacientes com sofrimento mental sucateados e inadequados para a demanda.

No início deste ano, a Secretaria de Saúde do Estado informou que Afrânio Peixoto passaria por reforma e deixaria de ser hospital psiquiátrico e o seu ambulatório se deslocaria para o Hospital Crescêncio Silveira, além disso, seis leitos estariam disponíveis no HGVC para os pacientes internados.

 

Os comentários estão encerrados.