Prefeitura publica decreto que flexibiliza a abertura de alguns setores do comércio

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia, Trabalho, Vit. da Conquista | Data: 27 mar 2020

Tags:,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Resenha_Vermelho_600x65.gif

da Secom/PMVC (Conteúdo)

Prefeitura publica decreto que flexibiliza a abertura de alguns setores do comércio

Desde que a ameaça de proliferação do Coronavírus chegou a Vitória da Conquista, a Prefeitura tem adotado uma série de medidas preventivas para garantir que o município tenha o menor impacto possível. Tais medidas têm sido tomadas em diálogo com diversas entidades representativas.

Nesse sentido, nesta quinta-feira (26), o Comitê de Gestão de Crise para enfrentamento da pandemia Covid-19 anunciou o Decreto 20.207 , que altera o Decreto 20. 202 . O novo decreto amplia a relação de empresas consideradas como de natureza essencial e que passam a poder operar respeitando as medidas de segurança. Confira abaixo quais são os setores:

I – serviços de saúde, farmácias, assistência médica e hospitalar;
II – hipermercados, supermercados, mercados, feiras livres, açougues, peixarias,
hortifrutigranjeiros, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, frigoríficos,
granjas e todos os demais estabelecimentos relacionados a cadeia produtiva de
gêneros alimentícios;
III – lojas de conveniência;
IV – lojas de venda de alimentação para animais e de produtos indispensáveis para
produção agropecuária, prevenção, controle de pragas dos vegetais e de doença dos
animais.
V – distribuidores de gás;
VI – lojas de venda de água mineral;
VII – padarias;
VIII – geração, transmissão e distribuição de energia elétrica;
IX – tratamento e abastecimento de água;
X – captação e tratamento de esgoto e lixo;
XI – processamento de dados ligados a serviços essenciais;
XII – segurança privada;
XIII – serviços funerários;
XIV – bancos, lotéricas e cooperativas de crédito;
XV – postos de combustível;
XVI – Lojas de material de construção, vidraçarias, marmoraria, serrarias, serralharias
e todos os demais estabelecimentos relacionados a cadeia produtiva da construção
civil;
XVII – Lojas de auto peças, borracharias, oficinas mecânicas e demais
estabelecimentos relacionados a manutenção de veículos automotores;
XVIII – Concessionárias de veículos;
XIX – Hotéis e pousadas;
XX – outros que vierem a ser definidos em ato expedido pela Secretaria Municipal de
Serviços Públicos ou Secretaria Municipal de Saúde.

A Prefeitura ressalta que as disposições do decreto anterior continuam inalteradas, reforçando que todas as medidas visam assegurar o funcionamento da economia local, mantendo o combate ao coronavírus.

4 em cada 10 brasileiros estavam negativados em fevereiro, aponta pesquisa

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia, Geral | Data: 26 mar 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Resenha_Vermelho_600x65.gif

Levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) estima que quatro em cada dez (38,8%) brasileiros adultos estavam negativados em fevereiro – o equivalente a 60,8 milhões de pessoas.

No segundo mês de 2020, o volume de consumidores com contas atrasadas cresceu 1,23% em relação ao mesmo período do ano anterior, o que representa uma desaceleração no crescimento da inadimplência no país – em janeiro, a taxa era de 1,38%.

Na mesma direção e com dados ainda mais positivos, o número de dívidas ficou 0,30% menor do que em 2019 na comparação anual, dado que evidencia queda pelo nono mês consecutivo. Em relação ao mês de janeiro, o número de dívidas caiu 0,11% e o de devedores, 0,22%.

…Leia na íntegra

Conter o Coronavírus é importante também para a saúde dos negócios

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 26 mar 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Resenha_Vermelho_600x65.gif

da CDL (Conteúdo)

Mensagem do presidente da CNDL

Em virtude do avanço do Coronavírus no Brasil, a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas resolveu somar esforços para conter a evolução da doença.

Entendemos que o momento não é de descontrole e que as autoridades de saúde estão tomando todas as providências necessárias. No entanto, cabe a uma entidade do porte da CNDL ajudar a esclarecer os seus associados com relação aos cuidados para evitar a contaminação.

Lembramos que a natureza do comércio implica no contato direto com o consumidor e que esse encontro pode fazer a diferença entre a propagação da doença e sua contenção.

Nesse sentido, pedimos a cada um dos nossos lojistas que façam a sua parte mantendo seus estabelecimentos comerciais limpos e orientando seus funcionários e clientes.

Entre as principais recomendações estão:

  • Evitar contato próximo com pessoas que estejam com infecções respiratórias agudas;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas, dinheiro e antes de se alimentar;
  • Se o funcionário trabalhar diretamente com dinheiro, disponibilizar luva e máscara;
  • Cobrir nariz e boca com o antebraço ao espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar nas mucosas dos olhos;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos;
  • Manter os ambientes bem ventilados;

A CNDL possui 2 mil associados e 500 mil empresas em seus Sistema. Milhões de pessoas passam por nossas portas. Temos certeza que podemos impactar positivamente nesse esforço.

Conter o Coronavírus é importante também para a saúde dos negócios.

Juntos somos mais fortes!

José César da Costa

Presidente da CNDL

Bancos suspendem pagamento de dívida por até 60 dias por covid-19

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 24 mar 2020

Tags:,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner_e2_piscina-3.gif

da CDL (Conteúdo) com informações da CNN Brasil Business

Medida vale para Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander

Os maiores bancos brasileiros anunciaram que estão abertos a prorrogar, por até 60 dias, os pagamentos de dívidas das pessoas físicas e micro e pequenas empresas. A medida é uma reação do setor ao efeito do coronavírus e vale apenas para os empréstimos que estão sendo pagos em dia. A iniciativa conjunta é do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander que afirmam estarem “abertos e comprometidos em atender pedidos de prorrogação, por 60 dias dos pagamentos de dívidas”.

“Os bancos estão engajados em continuar colaborando com o país com medidas de estímulo à economia”, cita a nota divulgada à imprensa. Segundo o comunicado divulgado pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), a decisão ocorre diante do “momento de preocupação dos brasileiros com a doença provocada pelo novo coronavírus” e após a discussão de “propostas para amenizar os efeitos negativos dessa pandemia no emprego e na renda”. Os bancos, segundo a nota, “entendem que se trata de um choque profundo, mas de natureza essencialmente transitória”.

Fiquem em casa! Este é o pedido do prefeito ao assinar Decreto que suspende algumas atividades comerciais

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia, Vit. da Conquista | Data: 22 mar 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Pel_banner_600x65-Resenha-_day.jpg
Prefeitura institui Comitê de Gestão de Crise para enfrentamento da pandemia de Covid-19

Como mais uma medida de enfrentamento da pandemia do Coronavírus, o prefeito Herzem Gusmão assinou, neste domingo (22), o Decreto 20.202, publicado no Diário Oficial do Município. Esse novo Decreto suspende, temporariamente, o atendimento ao público em todo o comércio e locais de prestação de serviço a partir de amanhã, 23, até 29 de março deste ano.

O Decreto autoriza o funcionamento dos estabelecimentos, desde que o atendimento seja, exclusivamente, para serviços de entrega (delivery) ou mediante prévio agendamento, respeitando as medidas de segurança.

Todos os Shopping Centers, galerias e afins também deverão ficar fechados durante o período estabelecido, mas os supermercados, mercados e farmácias localizados em seu interior ou fora dele poderão funcionar.

Além disso, para garantir que os serviços essenciais continuem sendo oferecidos à população, o Decreto enfatiza que as suspensões de atendimento não se aplicam às organizações responsáveis pelo abastecimento de gêneros alimentícios, pela segurança, cuidados em saúde e por outros serviços essenciais. Acesse aqui o Decreto para acompanhar a relação completa de estabelecimentos que poderão permanecer abertos.

É importante reforçar que a população de Vitória da Conquista deve realizar o isolamento social como medida de prevenção, uma vez que não está sendo disponibilizado para o município quantidade suficiente de testes pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, o que pode gerar subnotificação sobre o real número de infectados em nosso Município. Por isso, todas as medidas de prevenção precisam ser cumpridas com rigor.

Bancos suspendem pagamento de dívida por até 60 dias por covid-19

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 20 mar 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner_e2_piscina-3.gif

da CDL (Conteúdo) com informações da CNN Brasil Business

 Medida vale para Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander

Os maiores bancos brasileiros anunciaram que estão abertos a prorrogar, por até 60 dias, os pagamentos de dívidas das pessoas físicas e micro e pequenas empresas. A medida é uma reação do setor ao efeito do coronavírus e vale apenas para os empréstimos que estão sendo pagos em dia. A iniciativa conjunta é do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander que afirmam estarem “abertos e comprometidos em atender pedidos de prorrogação, por 60 dias dos pagamentos de dívidas”.

“Os bancos estão engajados em continuar colaborando com o país com medidas de estímulo à economia”, cita a nota divulgada à imprensa. Segundo o comunicado divulgado pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), a decisão ocorre diante do “momento de preocupação dos brasileiros com a doença provocada pelo novo coronavírus” e após a discussão de “propostas para amenizar os efeitos negativos dessa pandemia no emprego e na renda”. Os bancos, segundo a nota, “entendem que se trata de um choque profundo, mas de natureza essencialmente transitória”.

Palestra DONA DE SI – como ser empreendedora de si mesma em tempos de crise, com Suzana Pires

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia | Data: 16 mar 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner_e2_piscina-3.gif

da CDL (Conteúdo)

O Sebrae em Vitória da Conquista realiza a Palestra DONA DE SI – como ser empreendedora de si mesma em tempos de crise.

Com humor, relevância e emoção, na palestra DONA DE SI, a atriz, autora da Rede Globo, colunista da revista Marie Claire e fundadora do Instituto Dona de Si, Suzana Pires, leva a cada pessoa da platéia a entender como se conquista o protagonismo nas suas vidas. Como se tornar uma empreendedora de si mesma,e como superar seus problemas diários ao empreender.

Suzana utiliza seus recursos cênicos como atriz e como dramaturga, apresentando as questões através de personagens que geram identificação imediata em cada uma das espectadoras, levando a um ambiente de leveza, enquanto uma reflexão profunda acontece em cada mulher que deseja vencer seus próprios desafios. É uma experiência de modificação de uma mulher que DUVIDA DE SI para uma mulher DONA DE SI.

DATA: 19 de março
LOCAL: Centro de Convenções Divaldo Franco
CREDENCIAMENTO: A partir de 18h:30.
ENTRADA: Um kit de maquiagem com: um batom, um rímel e um lápis de olho. (O kit será doado para mulheres de instituição a ser definida)
INSCRIÇÕES: is.gd/donadesivdc 

INFORMAÇÕES:
(77) 3424-1600
(77) 99802-7869 (WhatsApp)

CRC promove Palestra sobre destinação de parte do IRPF devido, ao Fundo da Infância e Adolescência

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia, Vit. da Conquista | Data: 12 mar 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner_e2_piscina-3.gif

da Ascom CDL (Conteúdo)

O Conselho Regional de Contabilidade promove a Palestra sobre destinação de parte do IRPF devido, ao Fundo da Infância e Adolescência – FIA, nesta quinta-feira (12), às 08h30, na Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista. A entrada é franca.

Programação:

  • Palestra proferida pelo Delegado da Receita Federal, Sr. Andrey Soares, que explanará sobre a importância do contador para doações de parte do Imposto de Renda PF ao Fundo da Infância e Adolescência da nossa cidade.
  • Fala do Dr. Marcos Coelho, Promotor Público da Infância e Adolescência, que explanará sobre a fiscalização das contas.
  • Fala do Sr. Joabe Silva, Presidente do COMDICA, que explanará sobre a destinação dos recursos do Fundo.
  • Palestra proferida pelo Delegado Adjunto da Receita Federal, Sr. Artur Leone, sobre as alterações e mudanças no atendimento presencial da mesma.

Faturamento do setor brasileiro de franquias aumenta 6,8% em 2019

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia | Data: 10 mar 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Pel_banner_600x65-Resenha-_day.jpg

da CDL (Conteúdo) com informações da Agência Brasil

Vendas na Black Friday e liberação do FGTS contribuíram para expansão

O faturamento do setor nacional de franquias cresceu 6,8% em 2019, informou hoje (6) a Associação Brasileira de Franchising (ABF). De acordo com o presidente da ABF, André Friedheim, o resultado ficou “bem dentro da meta”, que era de +7%. O faturamento total do mercado de franquias no período evoluiu de R$ 174,843 bilhões para R$ 186,755 bilhões.

Abertura de lojas, vendas na Black Friday (dia que inaugura a temporada de compras de natal com promoções significativas no comércio), liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que injetou dinheiro no mercado, e também a força das marcas de franquia foram os fatores que contribuíram para o incremento registrado no setor. “Tudo isso ajuda no crescimento do segmento”, disse André Friedheim, em entrevista à Agência Brasil.

A Pesquisa de Desempenho do Franchising Brasileiro em 2019 mostra que também houve expansão de 4,6% no número de empregos diretos gerados pelo franchising, alcançando 1.358.139 trabalhadores empregados. O aumento das contratações em relação a 2018 está relacionado ao movimento de expansão das marcas, aos efeitos positivos da reforma trabalhista e à recuperação gradual da economia, segundo Friedheim.

Segundo Friedheim, as contratações terão continuidade neste ano, e a geração de empregos formais deve crescer cresça 5%, “porque o crescimento do mercado e do número de operações reflete no aumento do emprego”.

Segmentos

A pesquisa revela que houve crescimento da receita nos 11 segmentos de franquias acompanhados pela ABF, com a liderança exercida pelos grupos comunicação, informática e eletrônicos e casa e construção, que tiveram alta de 10% no faturamento, cada um. Friedheim disse que os dois segmentos foram favorecidos pelo reaquecimento, ainda que moderado, da economia. “Foram os que tiveram melhor performance comparada”.

O setor de serviços e outros negócios (8,3%) teve o segundo melhor desempenho em 2019, refletindo o aumento da demanda por serviços, de forma geral, e foi seguido pelo das franquias de crédito e serviços financeiros. Já os segmentos de saúde, beleza e bem-estar e de serviços automotivos aparecem na quarta posição, com crescimento de 7,2%, cada. “Foram os segmentos que mais se destacaram no mercado”, afirmou Friedheim.

O número de unidades também cresceu 4,7%, somando 160.958 operações no Brasil. A taxa de abertura de unidades de franquias atingiu 9,2% no período, contra 5,2% no ano anterior. O número de marcas subiu 1,4% em 2019, superando o índice de 1,1% apurado no ano anterior e totalizando 2.918 redes de franquias em atuação no Brasil. Entre os fatores que contribuíram para a alta estão o lançamento de novas marcas e a adesão de grandes e tradicionais empresas ao mercado de franquias.

Para este ano, a ABF projeta expansão de 8% na receita do setor. “A gente acredita que o franchising, que hoje representa 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) brasileiro, pode chegar, até o final do ano, a 2,8% do PIB. A gente quer ser mais representativo no mercado”, ressaltou o presidente da associação.

Ele lembrou que algumas redes de franquias se juntaram no ano passado para ganhar escala e eficiênci,a e as franqueadoras adotaram muita tecnologia para melhorar processos e se tornarem mais eficientes.

Quarto trimestre

A pesquisa revela ainda que no quarto trimestre do ano passado, o setor de franchising cresceu 8,1% em relação ao mesmo período de 2018.

Os segmentos que registraram maior aumento do faturamento na comparação com o quarto trimestre de 2018 foram comunicação, informática e eletrônicos (12,7%); casa e construção (11,9%); serviços e outros negócios (9,0%).; alimentação e hotelaria e turismo (com 8,7%, cada).

4 em cada 10 brasileiros quer reduzir gastos em 2020

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia, Geral | Data: 05 mar 2020

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Pel_banner_600x65-Resenha-_day.jpg
Personal accounting

Embora a situação da economia brasileira tenha se mostrado mais sólida no último trimestre do ano passado, três em cada 10 brasileiros (28%) deram adeus a 2019 no vermelho, segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Ainda assim, o cenário é positivo em comparação com o ano anterior: em março de 2018, a taxa de consumidores que não conseguiram pagar todas as contas chegou a 41%. Em 2019, 40% dos consumidores conseguiram ficar no zero a zero, ou seja, tiveram dinheiro apenas para pagar as contas, sem sobras, e apenas 18% ficaram no azul.

“As pessoas têm a falsa sensação de que viver no zero a zero é saudável em termos de finanças pessoais. Mas vale lembrar que viver dentro do padrão de vida equivale a gastar sempre menos do que se ganha. Assim, é possível construir uma reserva financeira de forma a cobrir eventuais gastos imprevistos”, destaca a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Primeiro Encontro do Agronegócio Florestal e Revitalização da Atividade Cafeeira é realizado em Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia, Geral, Meio Ambiente, Trabalho, Vit. da Conquista | Data: 03 mar 2020

Tags:

Editar imagem

Foi realizado na tarde desta segunda-feira (02) , no plenário da Câmara Municipal de Vitória da Conquista, o primeiro Encontro do Agronegócio Florestal e Revitalização da Atividade Cafeeira de Vitória da Conquista, com a presença do presidente do BNB, Romildo Rolim.

O evento contou com a participação de políticos, estudantes e produtores de toda a região. Durante o evento foram realizadas palestras, com o presidente do Pró-Conquista, Itamar Figueiredo, que falou sobre a economia de Vitória da Conquista, do café à produção de biscoito, além da indústria, comércio e o setor de prestação de serviço. E também com o engenheiro florestal Laércio Couto falou acerca das espécies florestais da região, tais como, a jaqueira, abacateiro, o café, umbu, e do plantio de sistemas agroflorestais.

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, agradeceu pela parceria na realização do evento, possibilitando o debate com os setores produtivos para disseminar as novas tecnologias. “É um estado que demanda muitas atividades produtivas, e em Vitória da Conquista por ser uma região centralizadora, temos muitas operações de crédito. O Banco do Nordeste quer alocar os recursos e temos feito de tudo para dar celeridade ao atendimento dos nossos clientes, procurando desburocratizar ao máximo, trabalhar com medições de tempo para agilizar a liberação dos recursos”, destacou, acrescentando que o objetivo da instituição é transformar o sonho das pessoas em realidade.

Durante a sua fala, o prefeito Herzem Gusmão, contou que está feliz com o momento atual. “Esse momento que está acontecendo aqui vai alavancar muito mais a nossa economia do que foi a década de 70. O que eu vejo aqui é benção de Deus e tenho certeza que nós haveremos de avançar no polo cafeeiro, porque Conquista é a cidade que tem as bençãos e o homem que trabalha”.

Pagamento de impostos com pontos de fidelidade é lançado no Brasil

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 03 mar 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Pel_banner_600x65-Resenha-_day.jpg

da CDL (Conteúdo), com informações da Agência Brasil

Serviço também vale para contas de água, luz e telefone

Pagar impostos e contas domésticas sem gastar dinheiro, consumindo pontos de programa de fidelidade em vez de desembolsar reais. Inédita no país, a solução foi lançada pelo Banco do Brasil (BB).

Desde a semana passada, o cliente pode usar pontos do programa de relacionamento da instituição financeira para quitar contas de água, de luz, de telefone e de televisão por assinatura, além de pagar tributos. O cliente não paga taxas nem tarifas para realizar a transação.

O serviço representa mais uma etapa na evolução dos programas de fidelidade. Inicialmente restritos a companhias aéreas, esses serviços se difundiram ao longo dos últimos dez anos. Segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf), a troca de pontos migrou primeiramente para as compras online, depois para o varejo físico.

Nos últimos anos, os bancos passaram a permitir que os clientes usassem pontos para restituir valores debitados em conta-corrente. A pontuação varia conforme os gastos em estabelecimentos parceiros dos programas e geralmente é atrelada à cotação do dólar e ao tipo de cartão de crédito. Cada dólar gasto pelo cliente é revertido em determinado número de pontos, que varia conforme a bandeira e a categoria do cartão.

Pelas estatísticas mais recentes da Abemf, o mercado de empresas de fidelidade movimentou R$ 3,7 bilhões no primeiro semestre do ano passado. O valor representa alta de 12,7% em relação ao mesmo período de 2018. O percentual de pontos expirados, que não podem mais ser trocados, caiu de 19,8% no segundo trimestre de 2018 para 17,4% no mesmo trimestre de 2019.

Coronavírus deve afetar indústria e comércio popular no Brasil

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia, Geral, Saúde | Data: 02 mar 2020

Tags:, , ,

Editar imagem

Fonte:Metro1

Após interferir em viagens de negócios entre Brasil e China, o coronavírus começa a comprometer a logística de abastecimento de cadeias de suprimentos entre os dois países. Dos 28 navios que deveriam vir da China com mercadorias, nove não zarparam, segundo monitoramento da consultoria em logística e comércio exterior Solve Shipping. Os 19 que estão a caminho trazem um volume muito menor de cargas. A informação é da Folha.

A retração na entrega de insumos industriais e produtos acabados, até o momento, afeta apenas indústrias e empresas de logística, mas a previsão é que ela chegue ao consumidor final nas próximas semanas. O comércio popular de áreas como a Avenida Sete de Setembro, em Salvador, e a 25 de Março, em São Paulo, deve sentir o baque. A maioria – 96% – do comércio entre Brasil e China é feita por navio.

Juros do cheque especial chegam a 165,6% ao ano em janeiro

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia, Geral | Data: 27 fev 2020

Tags:,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é pel.gif

EBC

A taxa de juros do cheque especial caiu em janeiro, mas ficou acima do limite estabelecido pelo Banco Central (BC). Os juros chegaram a 165,6% ao ano em janeiro, primeiro mês em que a medida começou a valer, a partir do dia 6.

O BC determinou que os bancos não poderão cobrar taxas superiores a 8% ao mês, o equivalente a 151,8% ao ano. Por outro lado, as instituições financeiras foram autorizadas a cobrar a partir de 1º de junho tarifa dos atuais correntistas com limite do cheque especial superior a R$ 500 por mês. A tarifa será equivalente a 0,25% do limite que exceder R$ 500. Há bancos que anunciaram isenção dessa tarifa para os clientes.

Em dezembro, os juros do cheque especial estavam em 247,6% ao ano. Houve, portanto, redução de 82 pontos percentuais de dezembro para janeiro.

21% dos brasileiros tiveram crédito negado em novembro, revelam CNDL/SPC Brasil

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 27 fev 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é pel.gif

da CDL (Conteúdo) com informações da CNDL

Nome sujo é a principal razão para a negativa. SPC Brasil avalia que Cadastro Positivo poderá expandir acesso ao crédito ao proporcionar avaliação de risco individualizada. Entre usuários de cartão de crédito, 25% entraram no ‘rotativo’

Um levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que, no último mês de novembro, em cada dez brasileiros que tentaram fazer uma compra a prazo, dois (21%) tiveram o pedido negado pelo credor. As principais razões da negativa foram o fato de o consumidor estar com nome inscrito em cadastros de devedores (31%) e a falta de comprovação de renda para realizar a compra (17%). Há ainda 15% que não conseguiram parcelar por renda insuficiente e outros 15% que já haviam excedido o seu limite de crédito com outras aquisições. Já 19% não souberam a razão do pedido não ter sido atendido.

…Leia na íntegra

Confiança do Consumidor encerra 2019 com 47,0 pontos, patamar acima de

0

Publicado por Rafael Gusmão | Colocado em Brasil, Economia | Data: 24 fev 2020

Tags:

Editar imagem

da CDL com CNDL (Conteúdo)

Número de brasileiros com visão negativa sobre a economia do país recua 10 pontos percentuais em um ano; expetativa para os próximos seis meses da economia mostra empate entre otimistas e pessimistas, mas 56% estão confiantes com futuro das finanças pessoais

Ainda que não tenha deslanchado, a percepção dos consumidores brasileiros sobre o ambiente macroeconômico tem apresentado melhoras. O Indicador de Confiança do Consumidor mensurado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) encerrou o ano de 2019 com 47,0 pontos. A escala do indicador varia de zero a 100, sendo que quanto maior o número, mais confiantes estão os consumidores. O dado alcançado no último mês de dezembro supera os 45,8 pontos observados no mesmo período de 2018. Já com relação a novembro de 2019, o número ficou praticamente estável (47,2 pontos).

a

A percepção geral dos consumidores, tanto sobre a sua vida financeira quanto com a economia, permanece negativa, mas em um nível pouco mais otimista do que em períodos anteriores. Em cada dez brasileiros, seis (62%) avaliam como ‘ruim’ o atual momento econômico do país – há um ano, esse número era 10 pontos percentuais mais alto, alcançando 72% dos entrevistados. Já o percentual de brasileiros que consideram ‘bom’ o momento econômico atual avançou de 2% para 7%, um número ainda pequeno.  Outros 30% consideram regular.

Observando a própria vida financeira, apenas 14% dos consumidores avaliam a condição como ‘boa’. A notícia positiva é que o percentual dos que avaliam a situação como ‘regular’ (47%) supera os que consideram a própria vida financeira ‘ruim’ (38%), que diminuiu dois pontos percentuais em 12 meses.

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a melhora gradual da percepção dos consumidores é resultado da reação econômica do país, mas como essa evolução se dá a passos lentos, a percepção dos consumidores também cresce a um ritmo devagar e cauteloso. “Espera-se que com um cenário econômico mais estável, o brasileiro encontre razões para voltar ao consumo de forma mais confiante e comece a pagar suas dívidas”, avalia a economista.

Mesmo com inflação controlada, 55% dos brasileiros acham que custo de vida pesa no orçamento

Mesmo com a inflação abaixo da meta, 71% dos entrevistados que avaliam o quadro macroeconômico como ‘ruim’ atribuem essa percepção negativa à alta dos preços. Já o desemprego é responsável pela avaliação negativa para 62% das pessoas ouvidas. Os juros elevados são citados por um terço (33%) dos pessimistas com a economia.

Para 55% dos entrevistados, o custo de vida é o que mais tem pesado no seu orçamento, seguido do desemprego (20%). Na visão desses consumidores, as despesas que mais subiram nos últimos meses foram os produtos de supermercados (90%), conta de luz (88%), combustíveis (86%) e medicamentos (77%).

Futuro da economia divide opiniões, mas maioria está otimista com as próprias finanças

Olhando para os próximos seis meses, nota-se um equilíbrio entre as opiniões: 26% dos brasileiros estão otimistas com a situação do país no futuro e igual percentual (26%) está pessimista. Outros 44% se mantêm neutros.

Entre os otimistas com o futuro, o fator que mais pesa é a expectativa de que haverá mais estabilidade política do país (38%). Já 28% creem que coisas boas devem acontecer, embora não saibam apontar uma razão clara, enquanto 28% concordam com as medidas econômicas adotadas pelo governo. Já entre os pessimistas, a opinião é fundamentada, principalmente, pelo sentimento de que os preços continuam altos (56%), discordâncias com as medidas econômicas tomadas pelo governo (40%) e a percepção de que não há melhora no emprego (35%).

O otimismo é maior, contudo, quando os consumidores são indagados sobre o futuro da sua própria vida financeira. De acordo com o levantamento, 56% dos brasileiros possuem boas expectativas para o seu bolso nos próximos seis meses. A opinião é fundamentada, sobretudo, pela crença de que a economia do país irá melhorar (39%) e a esperança de conseguir um emprego ou aumento de renda (28%). Apenas 8% dos consumidores acreditam que a vida financeira estará ruim nos próximos seis meses e 32% pensam que ela continuará igual.

“Pode parecer contraditório observar uma expectativa maior com as próprias finanças do que com a economia brasileira. O fato é que por mais que a situação econômica do país impacte a vida financeira do consumidor no seu dia a dia, ele sabe que assumir um controle efetivo sobre seu bolso e fazer adaptações podem ajudar a enfrentar um ambiente adverso e se a desgarrar da crise”, explica a economista Marcela Kawauti.

21% dos brasileiros tiveram crédito negado em novembro, revelam CNDL/SPC Brasil

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 21 fev 2020

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner_e2_piscina-3.gif

da CDL (Conteúdo) com informações da CNDL

Nome sujo é a principal razão para a negativa. SPC Brasil avalia que Cadastro Positivo poderá expandir acesso ao crédito ao proporcionar avaliação de risco individualizada. Entre usuários de cartão de crédito, 25% entraram no ‘rotativo’

Um levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que, no último mês de novembro, em cada dez brasileiros que tentaram fazer uma compra a prazo, dois (21%) tiveram o pedido negado pelo credor. As principais razões da negativa foram o fato de o consumidor estar com nome inscrito em cadastros de devedores (31%) e a falta de comprovação de renda para realizar a compra (17%). Há ainda 15% que não conseguiram parcelar por renda insuficiente e outros 15% que já haviam excedido o seu limite de crédito com outras aquisições. Já 19% não souberam a razão do pedido não ter sido atendido.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, os modelos atuais de análise de crédito são limitados porque entregam uma visão parcial sobre a vida financeira do consumidor, dando um peso maior aos apontamentos de inadimplência do que ao histórico de pagamentos como um todo. “A tendência é que o Cadastro Positivo mude essa cultura e uma parcela maior de consumidores, que hoje estão à margem do mercado de crédito, possa ter acesso a empréstimos e financiamentos com condições adequadas ao seu perfil de risco”, explica Pellizzaro Junior.

“Com o Cadastro Positivo, os credores poderão visualizar não apenas as contas que os consumidores têm em atraso, mas também aquelas que estão sendo pagas em dia. Isso significa que aquela parcela da população de renda mais baixa, que normalmente possui poucas garantias para fornecer em operações de crédito ou possuem registros pontuais de inadimplência, também poderá mostrar que é boa pagadora”, afirma Pellizzaro Junior.

Apenas 43% dos brasileiros recorreram a crédito. Quase um quarto dos usuários de cartão caiu no ‘rotativo’ em novembro

De forma geral, a maioria (57%) dos brasileiros não utilizou nenhuma modalidade de crédito no mês de novembro, como empréstimos, linhas de financiamento, crediários ou cartões de crédito. Outros 43% mencionaram ter recorrido, ao menos a uma modalidade no período, número inferior aos 50% observados no mês anterior.

cartão de crédito (37%) e o crediário (11%) foram as modalidades mais usadas no último mês. Já o cheque especial foi citado por 7% da amostra. Há ainda 6% de consumidores que contrataram empréstimos e 4% entraram em financiamentos.

O levantamento mostra ainda que as despesas correntes do dia a dia foram as mais realizadas via cartão de crédito, como as compras de supermercado (65%) e a aquisição de remédios (42%). Em terceiro lugar aparecem a compra de combustíveis (40%), seguida da aquisição de roupas e calçados (37%).

Um dado preocupante é que quase um quarto (23%) dos usuários de cartão de crédito não conseguiu pagar integralmente a fatura no último mês de novembro e entrou no chamado ‘rotativo’, que cobra os juros mais caros do mercado. Os que honraram os compromissos em dia somam 75% da amostra. Em média, o valor da fatura do cartão de crédito ficou em R$ 855,79, sendo que a maior parte (46%) dos entrevistados disse que manteve um valor de gasto parecido ao do mês anterior. Já 33% viram o tamanho da fatura aumentar em novembro, enquanto 15% diminuíram os gastos via cartão.

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, aconselha que, a cada compra no cartão, o consumidor avalie o quanto a prestação comprometerá a sua renda para evitar o risco de atrasos e pagamento de juros. “Passar as compras no cartão é algo prático, mas é preciso estar atento se o pagamento dessas parcelas não comprometerá a renda e o pagamento de outras despesas. Com a facilidade do parcelamento via cartão, corre-se o risco de exagerar nas compras por impulso ou sem planejamento e ter de arcar com altos juros”, alerta a economista.

Bahia decepciona e tem variação da atividade econômica inferior à média nacional

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Economia, Geral | Data: 19 fev 2020

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é pel.gif

Fonte: Bahia Notícias

Os resultados da variação do Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) em 2019, considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), decepcionou economistas e cresceu apenas 0,89% em 2019. Se o resultado geral não agradou, também houve quem decepcionasse além da conta: Minas Gerais (0,6%), Bahia (0,2%) e Espírito Santo (-1,3%) cresceram ainda menos que a média nacional.

De acordo com os dados do Banco Central, analisados por Veja, o índice é um indicador de tendências para o ano de 2020. Se a média anual do Amazonas (4,61%) foi ótima, o crescimento do estado nos últimos três meses não foi menos impressionante; alta de 5,97% em relação ao mesmo período do ano anterior. No Rio de Janeiro, estado que teve um crescimento tímido para o ano (1,34%), os últimos três meses deixam uma boa impressão: alta de 2,71%. 

Outros estados que destoam no último trimestre de 2019 foram São Paulo (2,68%), Goiás (2,68%) e Pernambuco (2,33%). O lado negativo fica por conta de Bahia (0,38%) e Espírito Santo (-2,86%), que tiveram desempenho abaixo da média no período analisado.

Confiança do Consumidor encerra 2019 com 47,0 pontos

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia, Geral | Data: 06 fev 2020

Tags:,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é pel.gif

A percepção geral dos consumidores, tanto sobre a sua vida financeira quanto com a economia, permanece negativa, mas em um nível pouco mais otimista do que em períodos anteriores. Em cada dez brasileiros, seis (62%) avaliam como ‘ruim’ o atual momento econômico do país – há um ano, esse número era 10 pontos percentuais mais alto, alcançando 72% dos entrevistados. Já o percentual de brasileiros que consideram ‘bom’ o momento econômico atual avançou de 2% para 7%, um número ainda pequeno.  Outros 30% consideram regular.

Observando a própria vida financeira, apenas 14% dos consumidores avaliam a condição como ‘boa’. A notícia positiva é que o percentual dos que avaliam a situação como ‘regular’ (47%) supera os que consideram a própria vida financeira ‘ruim’ (38%), que diminuiu dois pontos percentuais em 12 meses.

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a melhora gradual da percepção dos consumidores é resultado da reação econômica do país, mas como essa evolução se dá a passos lentos, a percepção dos consumidores também cresce a um ritmo devagar e cauteloso. “Espera-se que com um cenário econômico mais estável, o brasileiro encontre razões para voltar ao consumo de forma mais confiante e comece a pagar suas dívidas”, avalia a economista.

Bahia foi responsável por quase 50% das exportações do Nordeste em 2019

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Economia, Geral | Data: 04 fev 2020

Tags:

Editar imagem

Fonte:P.Ganduzão

Em 2019, o desempenho do Comércio Exterior baiano, foi puxado pelo crescimento de 27,2% do saldo comercial e pelo aumento para 48,5% do total das exportações do Estado na região Nordeste. Já a participação das exportações para China caiu para 27,4%, apesar do país asiático continuar sendo o principal destino de saída de mercadorias baianas.

A diminuição dessa dependência no total exportado pelo estado é positiva, pois significou a elevação na participação das exportações para outros países como Cingapura e Suíça, que mais que dobraram, saltando de 3,8% para 8% e de 1,3% para 2,9%, respectivamente. Os dados constam do Informe de Conjuntura Econômica, divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), nesta segunda-feira (03).

Os números positivos não são somente do Comércio Exterior. O volume de investimentos privados, implantados em 2019, com incentivos do Estado, foi de R$ 4,5 bilhões com a geração de 4,6 mil empregos.