Conquistenses reclamam da ausência dos agentes de endemias no combate ao Aedes agypti

0

Publicado por Editor | Colocado em Saúde | Data: 03 fev 2016

Tags:, , , ,

Da Redação

mosquito
Com o aumento do número de casos de Dengue,  Chikungunya e, principalmente, da Zika, cresce também a preocupação com a proliferação do mosquito Aedes agypti, transmissor das três doenças. O combate ao mosquito é de responsabilidade da população, que não deve, especialmente, deixar água parada, e também do poder público, que deve realizar o tratamento e passar as orientações preventivas para eliminação das larvas.

No entanto, moradores de diversos bairros de Vitória da Conquista têm reclamado da ausência dos agentes de endemias no combate ao Aedes agypti. Muitas pessoas afirmam que as visitas desses profissionais às suas residências não estão sendo realizadas. Há denúncias que a última visita do agente de endemias aconteceu em 2014, após solicitação do morador à Secretaria de Saúde.

De acordo com nota divulgada pela prefeitura, o tratamento das residências com o larvicida tem validade de dois meses, o que significa dizer que as visitas dos agentes de endemias devem acontecer no  mínimo seis vezes ao ano. No entanto, a realidade tem sido muito diferente.

Em Vitória da Conquista, até o dia 30 de janeiro, terça-feira, foram notificados 484 casos suspeitos para dengue, 12 para Zica e 1 para Chinkungunya. Todas as notificações aguardam resultado.

Os comentários estão encerrados.