Deputado critica omissão do Estado e MP-BA dá prazo para término da reforma do Centro de Cultura

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Cultura | Data: 18 set 2015

Tags:, ,

por Mateus Novais

IMG_1510Na audiência pública sobre o Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima, o Governo do Estado recebeu durar críticas à demora na reforma do espaço. O deputado estadual Herzem Gusmão (PMDB) da oposição e a representante do Ministério Público, Dra. Guiomar Miranda, chegaram a chamar o Governo de omisso.

O deputado estadual Herzem Gusmão (PMDB) afirmou que “o Centro de Cultura foi, acertadamente, interditado pela doutora Guiomar em 2013, mas faltou interesse do poder público em reabri-lo”. Ele citou o exemplo do centro de cultura da cidade de Itabuna, onde existia um estado semelhante de abandono. “É um prédio idêntico ao nosso, o mesmo projeto, e ele estava todo arrebentado. Mas, com a pressão dos deputados, o governo fez um mutirão e reformou com tempo recorde”.

O deputado apontou que o Governo Estadual age com descaso para com a cultura de Conquista, ainda assim, se mostrou esperançoso com uma resposta rápida ao problema. “Tenho certeza que a resposta virá. Não duvido já sair a data de inauguração aqui nessa noite. É bom quando a casa do povo promove um encontro como esse e a resposta chega imediatamente”.

Em defesa do Governo, o diretor dos Centros de Culturas do Estado, da Secult-Ba, Romualdo Lisboa, garantiu que mais de 80% das exigências já foram cumpridas. Segundo ele, dos 10 itens indicados pelo Corpo de Bombeiros, quatro foram cumpridos; dois estão em fase de resolução; e outros quatro dependem da elaboração e execução do Projeto de Segurança e Combate a Incêndio do Espaço. Já dos 34 pontos indicados pelo Crea-Ba, 27 foram resolvidos plenamente; um está em fase de resolução e cinco dependem da elaboração e execução do Projeto de Segurança e Combate a Incêndio do Espaço.

Ainda assim, os argumentos dos representantes do Governo não convenceram a promotora de Justiça Guiomar Miranda. Ela determinou um prazo para que o Governo do Estado finalize a obra no espaço cultural. “O Ministério Público está aguardando e, com certeza, se até o final deste ano não se concluir essas obras nós não temos outra solução, eu vou deixar bem claro aqui para os representantes do Estado da Bahia, a não ser recorrer ao Judiciário para arrestar contas do Estado e determinar, através de uma conta especifica, a realização das obras com essa verba”.

Os comentários estão encerrados.