Em Pernambuco estudo da FGV mostra que a Arena da Copa dá prejuízo ao Estado. A Bahia precisa de estudo semelhante

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Brasil, Esportes | Data: 31 dez 2015

Tags:, ,

da Redação

Arena PEO Governo do Estado de Pernambuco anunciou nesta terça-feira (29) que recebeu estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que havia encomendado a respeito do contrato de concessão da Arena Pernambuco. A FGV sugere que o acordo com a Odebrecht, válido até 2043, seja rompido. Os dados revelados não surpreenderam estudiosos e alguns jornalistas pernambucanos.

A FGV mostrou que a operação da Arena é deficitária e quem paga a conta do prejuízo é o Governo do Estado. De acordo com a concessionária, em 2013 o déficit foi de R$ 29,7 milhões. No ano passado, de R$ 24,4 milhões. Para esta temporada, a conta também não deverá fechar. A ocupação da Arena só chega a 25%.

Em agosto, a Polícia Federal deflagrou a Operação Fair Play, que apura superfaturamento na construção da Arena Pernambuco. A obra, estimada em R$ 796 milhões, pode ter sido superfaturada em R$ 42,8 milhões. De acordo com a PF, houve fraude na licitação da obra. O escritório da Odebrecht em Recife foi um dos locais nos quais foi cumprida ordem de busca e apreensão.

Fonte Nova/Denúncia

O contrato do Governo da Bahia com a Arena Fonte Nova foi alvo de muitas críticas na Assembleia Legislativa. O fato do Governo não liberar R$ 73 milhões para todas as universidades estaduais e ter liberado, só em 2015, R$ 93 milhões para a Fonte Nova, deixou os deputados governistas sem ação.

Arena Fonte NovaEm discurso no dia 7 de dezembro em Brasília, o deputado federal Elmar Nascimento (DEM) ao afirmar que vai levar ao procurador geral da Rodrigo Janot “as provas de desvios de recursos” na Arena Fonte Nova. “Não vou à tribuna sem provas. Trago relatório do Tribunal de Contas do Estado que pede a abertura de inquérito da Polícia Federal provando que houve desvio de recursos na Arena Fonte Nova”, disse o parlamentar baiano.

Os comentários estão encerrados.