Ocupações completam um mês

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Educação | Data: 21 nov 2016

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

img_1457

Há exatos um mês, estudantes estão ocupando os prédios de instituições de ensino superior em Vitória da Conquista. Ifba, Ufba e Uesb tiveram todas as suas atividades suspensas devido a manifestação dos discentes contra a PEC 55 (antiga PEC 241), o projeto Escola Sem Partido e a Reforma do Ensino Médio.

Desde o dia 18 de outubro, quando estudantes ocuparam o Ifba, o movimento contrário às mudanças propostas para a Educação ganhou força no município. Dias depois, em 22 de outubro, o movimento ganhou a Uesb – principal universidade instalada em Conquista – e Ufba. “Ocupamos a reitoria do campus de Vitória da Conquista para lutar contra o sucateamento do ensino público, contra o avanço do conservadorismo que pretende sacrificar a educação de milhares de jovens no Brasil”, afirmam a nota de ocupação dos estudantes da Uesb, apontando ainda que os serviços essenciais seriam mantidos.

No entanto, há um mês as atividades da TV e Rádio Uesb, bem como os atendimentos no Centro Universitário de Atenção à Saúde (Ceuas) foram interrompidos. O movimento também provocou a suspenção das provas do Enem, para os alunos que realizariam o exame nos locais ocupados, e dos vestibulares do Ifba e Uesb. Até a realização do segundo turno da eleição municipal de Vitória da Conquista chegou a ficar comprometido.

Movimento contrário

Após uma semana sem aula, os inconvenientes causados pelas ocupações acabaram gerando descontentamento entre os próprios estudantes. Tomando por base a violação do direito constitucional de acesso à educação, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) foi acionado pelo movimento intitulado Liberta Uesb – defensor de ações apartidárias no movimento estudantil.

Em resposta, no dia 10 deste mês, o MP-BA recomendou ao reitor da Uesb, Paulo Roberto Pinto, que proceda a desocupação das dependências da Universidade no prazo de 20 dias, “sob pena de responsabilização”. O reitor – que chegou a assinar um comunicado a favor das reivindicações dos estudantes –, então, se reuniu com os estudantes e convocou os membros do Conselho Universitário (Consu) para debater a recomendação no próximo dia 29.

Enquanto isso, Ifba e Ufba, autarquias federais, continuam ocupados e sem previsão para retornarem às suas atividades normais.

Os comentários estão encerrados.