Parabólica

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Brasil, Política, Saúde | Data: 08 jan 2014

Tags:, ,

Nome

Bruno Reis BO deputado estadual Bruno Reis (PMDB) entrevistado nesta 3ª feira (7), declarou que o nome do candidato da oposição será anunciado após o Carnaval. A declaração foi dada  aos radialistas Uziel Bueno e Evilásio Júnior,  na Rádio 100.

Nome II

“Não há briga. Há um entendimento de que nossa candidatura está entre Geddel Vieira Lima e Paulo Souto. Esperamos que um seja candidato a governador e outro ao Senado para irmos às eleições com força máxima”, disse o parlamentar ligado a ACM Neto. A oposição deverá marchar com uma única candidatura para as eleições ao governo estadual garantiu Reis.

 Baianão

No restaurante Boi Preto em Salvador, ontem ao meio dia, foi lançado o Campeonato Baiano de 2014.  Vários atletas do passado, a exemplo de André Catimba (ex Vitória) e Sapatão (ex-Bahia e Flu de Feira) na foto, compareceram e foram assediados pela imprensa e dirigentes de clubes. Estavam lá também Beijoca, Bobô e  Alberto Leguelé (ex- atletas do E.C Bahia).

Baianão II

André Sapataão BDurante o lançamento do Baianão 2014 o presidente da FBF, Ednaldo Rodrigues anunciou que a Caixa Econômica Federal patrocinará os clubes que estarão envolvidos no certame. O Governo do Estado estava representado pelos secretários Nilton Vasconcelos (Trabalho e Renda) e Robson Almeida (Agecom).

Sesab

O estafe da Sesab, liderado pelo secretário Jorge Solla (Sesab), participou ontem de reuniões em Vitória da Conquista. A subsecretária Suzana Ribeiro e o chefe de gabinete Washington Couto participaram do encontro. Merece ainda confirmação, mas tudo indica que Couto ficará como titular da pasta.

Sesab II

Couto BSolla deverá entregar a Secretaria de Saúde ainda este mês, decisão que faz parte de um acordo dos partidos da base aliada ao Governo da Bahia. Solla é pré-candidato a deputado federal pelo PT. A possível indicação de Washington Couto (foto) é tida como surpresa. O nome mais contado para substituir Solla era o de Suzana Ribeiro.

Ditaduras caloteiras

Sigiloso ou clandestino? Esse é o título de um artigo publicado na Revista Veja, última edição. (…) O governo brasileiro está levando longe demais sua política externa de opção preferencial por ditaduras caloteiras.No ano passado, Brasília perdoou a dívida de Congo-Brazzaville, Sudão, Gabão, e Guiné Equatorial, países dirigidos por governantes acusados em tribunais internacionais de crimes de desvio de dinheiro público, enriquecimento ilícito, corrupção, lavagem de dinheiro e genocídio. Esses países importaram do Brasil cerca de 1,9 Bilhão de reais e não pagaram. A revista no mesmo artigo condena os generosos investimentos do Brasil em Cuba.

Os comentários estão encerrados.