Reciclagem: um problema que envolve educação, conhecimento e ação

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia, Política, Trabalho, Vit. da Conquista | Data: 30 out 2013

Tags:, , ,

Por Paulo Anderson Rocha

Entre as falas dos presentes na audiência pública sobre Reciclagem, realizada na Câmara de Vereadores nesta quarta-feira (30), alguns temas foram recorrentes e convergiram para a mesma análise. Três deles são o conhecimento, a educação e a necessidade de ampliar a discussão.

Quanto ao conhecimento, o problema apresentado é a falta dele por parte da comunidade, que fica representado na fala do empresário Antonio Enéias Ramalho: “Falta conhecimento por parte da sociedade do que é possível fazer com os resíduos e quais as opções disponíveis na cidade, como o Recicla Conquista e indústrias que trabalham com transformação desse material”.

O professor Espedito Sousa, elabora  a questão da educação, trazendo a experiência de uma feira de Ciências realizada no Colégio Estadual D. Climério de Andrade, onde atua. Diante do entusiasmo e do engajamento dos alunos que recebiam as informações e trabalhavam com o tema, ele levanta a necessidade de que “os setores público e privado tivessem uma preocupação mais acentuada, divulgando e massificando, a fim de educar a sociedade, os jovens e adultos, sobre reciclagem, passando pela escola.

Ampliando a discussão – Pela constatação de que há muito o que se estudar, pensar e fazer, surgiram as propostas da realização de um seminário e de um projeto de ampla divulgação das empresas, instituições e projetos que contemplem as necessidades no município e da sociedade no que tange à reciclagem, pensando na preservação do meio ambiente e na geração de emprego e renda.

Em sua fala, o Secretário de Meio Ambiente de Vitória da Conquista, se colocou à disposição para realização dos projetos, mas ressaltando que esse é um processo lento e processual, que deve ser ainda estudado.

A especialista em gestão ambiental, parceira do Recicla Conquista e estudiosa da área, Vera Rocha, lembrou da Política Nacional de Resíduos Sólidos, cujo prazo para implantação efetiva termina no próximo ano e pouco foi feito. Ela lembra ainda que parceria pública-privada é essencial, pois a iniciativa privada não tem como dar conta de um problema que é de competência pública, pois antes de ser subproduto ou matéria prima, é lixo.

Os comentários estão encerrados.