Região: PF e Receita Federal deflagram operação para combater contrabando de cigarros e descaminho em Tanque novo

0

Publicado por Editor 2 | Colocado em Polícia, Sudoeste, Vit. da Conquista | Data: 19 maio 2021

Tags:,


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é unnamed-1.gif

Polícia Federal e Receita Federal deflagram, nesta quarta-feira (19/05), a Operação Caravana, que visa combater os crimes de Associação criminosa, Contrabando e Descaminho, delitos cujas penas, somadas, podem chegar até 12
anos de reclusão.

Oito mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos por 32 Policiais Federais e 21 servidores da Receita Federal na cidade de Tanque Novo/BA. A operação decorre de investigação iniciada em novembro de 2019, com base em informações provenientes da Delegacia da Polícia Federal em Londrina/PR, relatando a atuação de um grupo, liderado por dois comerciantes de Tanque Novo/BA, que estaria operando esquema de transporte e distribuição cigarros, bebidas e perfumes provenientes do Paraguai, sem o pagamento dos impostos devidos.

No curso das investigações, foram registradas três ocorrências policiais ligadas ao grupo, confirmando sua reiterada atuação nos crimes de Contrabando e Descaminho: em dezembro de 2019, um indivíduo ligado ao grupo foi preso em
flagrante em Santo Inácio/PR, por transporte de cigarros contrabandeados; em setembro de 2020, outra carga de cigarros pertencente ao grupo foi apreendida em Urandi/BA; já em janeiro de 2021, houve a apreensão em Montes Claros/MG de uma carga de perfumes provenientes do Paraguai, que era transportada pelos dois líderes do grupo investigado.

A equipe de investigação identificou, ainda, a utilização de uma empresa de fachada para dar aparência de legalidade aos valores movimentados pelo grupo criminoso. A empresa sediada em Tanque Novo/BA movimentou cerca de R$ 13
milhões no período de 2018 a 2020. A maior parte dos recursos movimentados tinha como origem/destino empresas sediadas na região da fronteira com o Paraguai.

Em conjunto com a investigação policial, está a cargo da Receita Federal do Brasil dar prosseguimento aos procedimentos fiscais.

Os comentários estão encerrados.