Sob pressão da base, PT desiste de aliança com Grupo Independente

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Política | Data: 30 jul 2016

Tags:, ,

por Mateus Novais

DSC_04736A decisão de ter na chapa majoritária a integrante do Grupo Independente, Maria Eny (PDT), desagradou e muito a base do pré-candidato José Raimundo Fontes (PT). Depois de ter anunciado internamente a composição à prefeitura de Vitória da Conquista, os petistas tiveram que voltar atrás, sob a ameaça de ruptura com partidos que já compõem a Frente Conquista Popular.

Na última quinta (28), o anúncio da vice foi avalizado pelo prefeito Guilherme Menezes e divulgado aos membros do PT. Na sexta (29), a assessoria de Zé Raimundo divulgou o adiamento da convenção que homologaria a chapa (agendada para este sábado, 30), sem apontar os motivos. No entanto, fontes ligadas aos petistas confirmaram que partidos, como PSD e o PP, ameaçaram deixar a aliança, caso houvesse a composição com o Grupo Independente – uma reunião de emergência foi realizada, ainda na sexta, para debater o assunto.

Na mesa da reunião de ontem, PSD e PP ameaçaram desembarcar da aliança e o lançar uma sétima chapa à Prefeitura, tendo o presidente da Câmara de Vereadores, Gilzete Moreira (PSD), como cabeça de chapa, e José Carlos Ladeia (PP) na vice. O PT, que não pretendia retroagir na decisão (quase-anunciada) de ter a tabeliã Maria Eny como candidata a vice, foi obrigado a ceder. Por fim, hoje, veio a notícia que Zé Raimundo não terá uma vice (nem coligará com alguém) do Grupo Independente.

O causador dessa confusão, o presidente municipal do PDT e líder do Grupo Independente, Romilson Filho, anunciou aos seus liderados que o nome de Maria Eny saiu da pauta petista – e do Grupo Independente. De acordo com Romilson, o seu grupo decidiu, então,  que lançará candidatos a vereador, sem candidato a prefeito.

Os comentários estão encerrados.