Ceasa: comerciantes entrarão com mandado de segurança contra Prefeitura

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 12 set 2016

Tags:, ,

por Mateus Novais

img_0916

Após realizarem protesto, na manhã desta segunda-feira (12), os comerciantes/motoristas que atuam no Ceasa da Av. Juracy Magalhães conseguiram forçar uma reunião com membros da Prefeitura Municipal. O encontro terminou sem nenhum acordo, mas os comerciantes prometeram entrar com um mandado de segurança contra Prefeitura.

Segundo os comerciantes/motoristas, a Prefeitura não deu o prazo suficiente para os comerciantes se adaptarem ao Decreto 17.228, que limita a atuação na Ceasa. “Nós viajamos por horas para trabalhar aqui em Vitória da Conquista. Chegamos com parte da carga vendida, mas temos que vender o restante aqui. Se não fizermos assim, não vale a pena viajar até Conquista”, alega o líder do movimento Gilsivan Andrade. Ele também aponta que “se a Prefeitura não organizar essa situação urgente, Conquista ficará desabastecida das mercadorias produzidas na região”.

Com o mandado de segurança, os comerciantes/motoristas acreditam que “a Prefeitura suspenderá o decreto e sentem na mesa de negociação com uma proposta viável”, conclui Gilsivan.

Comerciantes da Ceasa protestam contra decreto Municipal

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 12 set 2016

Tags:, ,

por Mateus Novais
foto: Rafael Gusmão

img_1724

Um grupo de comerciantes atacadistas, que atuava na Ceasa da Av. Juracy Magalhães, realizou protesto, nesta segunda-feira (12), contra um decreto que os impede de comercializar produtos no local. A ação veio em atendimento aos permissionários da Ceasa que se queixam da queda nas vendas de hortifrutigranjeiros devido a atuação dos caminhoneiros.

O Decreto 17.228 da Prefeitura Municipal, publicado no último dia 29 de agosto, transfere para a fiscalização pública municipal o controle da entrada e saída de veículos no Ceasa. “Deverá ser exigida a identificação do condutor, bem como da procedência da carga que ali adentrar e do permissionário destinatário, sob pena de não ser permitida a entrada do veículo”, aponta o decreto.

Na Assembleia, atacadistas garantem que reduzir imposto aumenta arrecadação

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Economia | Data: 18 maio 2016

Tags:, , , , ,

por Mateus Novais

IMG_3460foto: divulgação – Assessoria Parlamentar

A Comissão Especial de Desenvolvimento Regional da Assembleia Legislativa da Bahia realizou, nesta quarta-feira (18), uma Audiência Pública para debater a tributação do setor atacadista e os efeitos na cadeia de abastecimento do estado. A audiência foi proposta pelo presidente da Comissão, o deputado estadual Herzem Gusmão (PMDB).

O presidente da Associação dos Agentes de Distribuição da Bahia (ASDAB), Antônio Cabral, fez uma explanação mostrando um estudo que o estado poderá arrecadar mais reduzindo o ICMS do setor atacadista, no ramo de supermercados. “O Estado da Paraíba, com população de 3,9 milhões de habitantes chegou a marca de R$ 1,9 bilhões de faturamento no setor atacadista, enquanto a Bahia com 15 milhões alcança a R$ 1,7 bi. Estão dizimando o comerciante baiano. É um direito do baiano vender na Bahia. Realizamos um trabalho social na Bahia, quem mais gera emprego é a micro e pequena empresa”, destacou.

O advogado da ASDAB, Pedro Eduardo, completou que o “aumento da carga tributária não aumenta a arrecadação do governo. A partir do momento que o Estado entender isso, vai ver que é melhor para todos”.

De acordo com Maurício Ferreira, diretor jurídico do Instituto dos Auditores Fiscais da Bahia (IAF), a redução de impostos para os atacadistas baianos “é um pleito justo”. “Gera postos de trabalho e riqueza para o nosso estado, mas as circunstâncias remetem cautela”.

Já o diretor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Luiz Gonzaga, que representou  secretário Jorge Hereda, confirmou que o Governo tem ciência de que “os atacadistas baianos vendem menos do que os vizinhos do Nordeste”, mas garantiu que “o governo está trabalhando para superar as dificuldades econômicas”.

Sandro Régis, líder da bancada da Oposição na Assembleia, afirmou que é preciso “unir a Casa para tentar ajudar na solução. O baiano tem que ter as mesmas condições de competitividade com que vem de fora”.

Para Herzem, a Audiência foi muito proveitosa. “A participação de 12 deputados da Casa, além de empresários e autoridades, mostra a importância que o setor atacadista tem para o estado da Bahia, responsável pela geração de meio milhão de empregos”.

Por solicitação do deputado Rosemberg Pinto, que é vice-presidente da Comissão, foi sugerida a formação de um grupo de deputados para uma Audiência com o secretário da Fazenda, Manoel Vitório. “A proposta é que a legislação ofereça um tratamento próprio para cada segmento, preservando o princípio da igualdade. Ninguém suporta mais essa alta carga tributária que está levando muitos a falência”, ressaltou.

Compareceram a Audiência Pública os deputados Sandro Regis (DEM), Rosemberg Pinto (PT), Luciano Simões (PMDB), Luís Augusto (PP), Alex da Piatã (PSD), Carlos Geilson (PSDB), Nelson Leal (PDB), Pedro Tavares (PMDB), Marquinho Viana (PSB), Maria Del Carmen (PT), Hildécio Meireles (PMDB).

Distribuidores e Atacadistas da Bahia realizam encontro regional em Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 16 mar 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais
foto: arquivo BRG

DSC_1435-300x180A partir do mês de março a atual gestão da Associação dos Distribuidores e Atacadistas da Bahia (ASDAB) dará início a um dos projetos assumidos durante a posse da nova diretoria para o biênio, o “ASDAB na Estrada”. Idealizado com o objetivo de disponibilizar mais ações da Associação para as cidades do interior do estado, o projeto consiste na realização de encontros regionais, buscando descentralizar as ações da entidade, além de levar informações de interesse comum ao setor.

O presidente da ASDAB, o conquistense Antônio Cabral (foto), aposta no projeto como uma forma de aproximar os 600 associados distribuídos em todo o estado. “Com grandes proporções geográficas, é comum na Bahia, que se criem cenários distintos entre uma região e outra, o que pode gerar demandas bem diferentes entre os associados de cada área. A nossa meta é diminuir essas distâncias, pulverizar o desenvolvimento, além de gerar troca de experiências e conhecimentos que impulsionem os negócios em todo o estado”.

O primeiro evento acontecerá no dia 18 de março na Pousada da Conquista, em Vitória da Conquista. Além de debates relacionados às conquistas e demandas do setor, o programa do evento também inclui duas breves palestras que discutirão as relações entre a Governança Participativa e o Associativismo e o Plano Tributário traçado pela entidade para 2015. …Leia na íntegra

Futuro presidente dos Atacadistas da Bahia quer diminuir disputa local com estados vizinhos

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Economia | Data: 13 nov 2014

Tags:, , ,

por Mateus Novais
foto: Roberto Silva

DSC_1435O empresário conquistense Antonino Cabral, da Cabral e Sousa, foi eleito para a presidência da Associação dos Atacadistas da Bahia (Asdab) para o biênio 2015-2016. Toinho Cabral, como é popularmente conhecido, que ocupa atualmente a vice-presidência da associação, tem a missão de fortalecer o mercado atacadista-distribuidor no estado, que ainda está atrás de outros estados do Nordeste.

A ASDAB é responsável pela capilaridade de atendimento de 65 mil pontos de atendimento na Bahia. O seguimento faturou 200 bilhões de reais no país em 2013. Segundo Cabral, um dos avanços recentes para a categoria foi inibir os estados de fronteira que entrassem tão facilmente na Bahia. “Porque eles entravam com distorções tributárias ou benefícios tributários para vender na Bahia e deixava o estado altamente competitivo”, explica o empresário.

Os dados da associação apontam a geração de 500 mil empregos, 100 mil através do atacado-distribuidor e mais 400 mil através do micro e pequeno varejo, no estado. “Se nós conseguirmos ficar mais competitivos na Bahia poderemos gerar 1 milhão de empregos seguramente”, garante Toinho. Para isso, a Bahia tem que se comportar realmente como o quarto maior mercado do Brasil, acredita ele. “Nós não podemos continuar perdendo do estado da Paraíba, que tem três milhões de habitantes, e os atacadistas paraibanos estão à frente dos baianos. Isso é inadmissível. Nós temos 15 milhões de consumidores e a Paraíba não tem nem a população da capital baiana, e está a nossa frente”. …Leia na íntegra