Com apoio da Guarda Municipal e da PM, Sesep orienta camelôs sobre mudança da Lauro de Freitas para a Rua da Misericórdia

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral, Vit. da Conquista | Data: 02 jun 2021

Tags:, , ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner_blog_728x90px_SEVILHA_PEL-1.gif

Desde as 6h30 desta quarta-feira (2), equipes da Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Sesep), com apoio da Guarda Civil Municipal, e da Polícia Militar, estão na Estação Herzem Gusmão, organizando o espaço para uso da população. A ação inclui orientar os camelôs que ocupavam área e estão sendo realocados para a Rua da Misericórdia, onde a Prefeitura preparou um calçadão exclusivo para as suas atividades.

“Já tínhamos comunicado aos vendedores ambulantes, na semana passada, que eles seriam direcionados para lá. Também estamos trabalhando na organização do espaço, para garantir a acessibilidade dos pedestres, mantendo pisos táteis desobstruídos”, explicou o secretário de Serviços Públicos, Luís Paulo Santos.

“Nosso trabalho aqui é um trabalho de prevenção, de conscientização da população, para a gente conseguir realizar a atividade com precisão e como a população espera. É um trabalho que todos os guardas estão preparados para fazer, nós tivemos um curso de formação, então agora só vão colocar em prática o que foram capacitados”, declarou o subcomandante da Guarda Municipal, Manoel Soledade.

A operação estará em curso durante toda esta quarta-feira e ao longo dos próximos dias. Também estão apoiando a ação a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) e a Defesa Civil.

A Estação Herzem Gusmão será aberta ao uso do público logo mais, às 14h.

Shopping Popular: após protesto, Prefeitura estende data de assinatura de termos de permissão

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 29 jan 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

DSC_2602A Prefeitura Municipal estendeu até o dia 10 de fevereiro a data das assinaturas dos termos de permissão do Shopping Popular de Vitória da Conquista. A medida forçada ocorreu após cerca de 70% dos 196 primeiros selecionados recusarem o valor de R$ 225 referente ao condomínio. A intenção do Governo Municipal era de colher todas as assinaturas na última terça-feira (27).

Os poucos comerciantes que assinaram, receberam as chaves dos boxes com que foram contemplados no sorteio realizado em 10 de dezembro. Segundo o Governo, outro sorteio ainda será promovido, a fim de completar a lista dos 302 boxes. Por conta do imbróglio, a expectativa da Prefeitura para o funcionamento do Centro de Comércio Popular também ficou indefinida. Antes anunciada como certa para o dia 23 de fevereiro, agora o Governo especula que “comece a funcionar logo após o Carnaval – provavelmente, no dia 23 de fevereiro”.

A Prefeitura afirma que para chegar a esse valor de R$ 225 na taxa de condomínio, os cálculos “tiveram como base uma pesquisa, por meio de uma série de levantamentos, nos quais foram analisados os diversos aspectos necessários para o bom funcionamento do equipamento”. Se ficar definido esse valor, a Prefeitura irá arrecadar R$ 67.950 mensais com o empreendimento popular.

Camelôs cobram diálogo e respostas da Prefeitura

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 27 jan 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais

DSC_2579A forma que o valor do condomínio do Shopping Popular foi proposto pela Prefeitura gerou muita revolta entre os camelôs. Os comerciantes cobraram do Governo diálogo e transparência no processo de definição do aluguel o espaço e sorteio dos 106 boxes que ainda restam.

Segundo o presidente do Sindicato dos Sacoleiros, Ambulantes e Camelôs (SINDSAC), Valdemir Pereira, mais conhecido como Sky (foto), representantes da Prefeitura ameaçaram os camelôs já sorteados de perda da permissão, caso não assinassem a proposta de R$ 225 de condomínio. “Eles falaram: ou assina ou estão dispensando um Box no Shopping Popular”, afirmou Sky. “Nós estamos nesse impasse. Mas nós queremos conversar. É um valor que todo mundo achou um absurdo, porque nós não somos empresários, somos camelô que estamos nos formalizando”, completou o presidente.

Do total de 302 boxes no empreendimento, restam ainda 106 boxes que serão sorteados. Porém, os comerciantes garantem que a Prefeitura não informou a quem será destinado esses boxes. “Ninguém sabe quando serão sorteados. Falam que é pendência, mas não falam quais pendências são essas. Porque não mandam cartas pedindo a regularização ou dizendo quem está regular? Porque a entrega das chaves primeiro para uns e para outros não? Porque não fazem logo o sorteio dos outros boxes? Isso é o que não sabemos; e queremos uma resposta”, cobrou o presidente do Sindicato.

Valor de condomínio gera confusão na assinatura de permissão do Shopping Popular

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 27 jan 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

DSC_2602

A assinatura do termo de permissão do Shopping Popular terminou em confusão, na tarde desta terça-feira (27). Cerca de 70% dos 196 camelôs aptos a ganhar uma das 302 chaves do empreendimento popular não assinaram o termo, em protesto contra o valor do condomínio estipulado pela Prefeitura Municipal.

A confusão começou após a Prefeitura apresentar o valor de R$ 250, em uma reunião na última segunda.  O Sindicato dos Sacoleiros, Ambulantes e Camelôs (SINDSAC) não concordou com a proposta do Governo Municipal e pediu o prazo de 24 horas para discutir, em assembleia, o valor. “Mas hoje, fui procurado por funcionários da Prefeitura pedindo para marcar uma reunião às 11h, antes mesmo de a gente realizar a assembléia. Nós não concordamos, mas algumas pessoas foram para a reunião e recebeu uma segunda proposta de R$ 225”, revelou o presidente do sindicato, Valdemir Pereira, mais conhecido como Sky (foto).

Pela falta de diálogo da Prefeitura, a grande maioria dos camelôs não assinaram o termo, na tarde desta terça, como esperava a Prefeitura. Os poucos que aceitaram a proposta do Governo afirmaram que assinaram o documento por medo de perder o direito ao box. Mesmo assim, a assinatura foi realizada sob vaias e gritos de “traidor” vindo dos próprios colegas.

Distribuição de boxes na Feira do Paraguai: Presidente do Sindicato diz que não quer ‘entrar na polêmica’

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 26 fev 2013

Tags:, , , ,

Por Rodrigo Ferraz e Mônica Cajaíba

cdl_gov.ba_sindsacApós denúncia da Câmara de Dirigentes Lojistas de Vitória da Conquista (CDL), quanto a distribuição dos novos boxes na Feira do Paraguai, a nossa reportagem entrou em contato com o presidente do Sindicato dos Sacoleiros, Ambulantes e Camelôs – SINDSAC, Valdemir Pereira (Sky).

O representante da entidade revelou que não foi comunicado sobre a distribuição dos ‘pontos’ no local e que preferiu não entrar na polêmica.

“Infelizmente não estamos tendo o apoio dos ambulantes e camelôs quanto ao sindicato. Prefiro não me manifestar sobre o assunto, até porque a distribuição dos novos boxes foi de responsabilidade da prefeitura”.

Ainda durante a conversa, o presidente revelou que não sabe se os ‘pontos’ foram cedidos por um vereador, como revelou Marcos Alberto, responsável pela CDL em entrevista concedida ontem (segunda-feira) ao programa Resenha Geral.