Uesb instaura processo contra estudante que fraudou sistema de cotas

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Educação | Data: 06 abr 2016

Tags:, , , , ,

por Mateus Novais

UESB1

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) abriu processo administrativo para apurar a situação da estudante Maiara Aparecida Oliveira Freire, que fraudou o sistema de cotas raciais para entrar no curso de Medicina. Maiara apresentou uma declaração falsa de que era moradora de uma comunidade quilombola do município de Livramento de Nossa Senhora.

Ela foi condenada foi condenada a 2 anos de prisão por Falsidade Ideológica no dia 30 de março pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Vitória da Conquista. Como se trata de ré primária, a pena foi convertida em trabalhos comunitários e pagamento de multa no valor de um salário mínimo. A Uesb, a quem o juiz apontou ser responsável por determinar a permanência da estudante na instituição, foi notificada da decisão nessa terça-feira (5).

Confira a nota:

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), considerando a decisão proferida pelo MM. Juiz de Direito da 2ª Vara Criminal da Comarca de Vitória da Conquista (Processo nº 0504863-90.2014.8.05.0274) e a gravidade da situação envolvendo a estudante do curso de Medicina, do campus de Vitória da Conquista, Maiara Aparecida Oliveira Freire, informa que está sendo instaurado Processo Administrativo Disciplinar (PAD), visando apurar administrativamente a responsabilidade da discente, ficando-lhe assegurado o direito de defesa e do contraditório. Universidade informa, ainda, que será composta uma Comissão Processante, por meio de Portaria, que será devidamente publicada no Diário Oficial do Estado (DOE).

Uesb ainda aguarda notificação da Justiça sobre caso de estudante que fraudou sistema de cotas

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Educação | Data: 01 abr 2016

Tags:, , ,

por Mateus Novais

UESB1

Nesta sexta-feira (1º de abril), a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) respondeu a solicitação do BLOG DA RESENHA GERAL a respeito da estudante condenada por fraudar o sistema de cotas da instituição. A estudante Maiara Aparecida Oliveira Freire (foto) apresentou uma declaração falsa de que era moradora de uma comunidade quilombola do município de Livramento de Nossa Senhora para se matricular no curso de Medicina da universidade.

IMG_0154Por meio de nota a Ues informa que “só poderá se manifestar sobre o referido assunto quando a Instituição for formalmente notificada pelos órgãos competentes da Justiça, o que, até o momento, ainda não aconteceu”.

O comunicado não esclarece se a estudante poderá ser expulsa da universidade.

Enquanto isso, uma reportagem da TV Aratu revelou que colegas da estudante relataram a sua ausência às aulas nas últimas semanas. A reportagem também apontou que a estudante estava morando em Vitória da Conquista com sua família no bairro Candeias.

Estudante de Medicina é condenada por fraude no sistema de cotas da Uesb

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 31 mar 2016

Tags:,

por Mateus Novais

UESB1

Uma estudante do curso de Medicina da Uesb foi condenada por pratica de fraude no sistema de reserva de cotas adicionais para o grupo de quilombolas. A estudante, Maiara Aparecida Oliveira Freire, apresentou uma declaração falsa de que era moradora de uma comunidade quilombola do município de Livramento de Nossa Senhora.

Conforme informações do Ministério Público da Bahia (MP-BA), após sua aprovação a estudante, ao realizar sua matrícula, apresentou uma declaração da Presidente da Associação do Desenvolvimento Comunitário Cultural Educacional e Social do Quilombo de Rocinha e Região, Maria Regina Bonfim, que informava que a estudante acusada residia no Povoado Rocinha. Ainda segundo o MP-BA, o documento fez constar uma declaração falsa, uma vez que a acusada não residia naquele local.

Após apuração, em que foram ouvidas testemunhas, todas residentes no Povoado Rocinha-Itaguaçu, foi constatado que a estudante tem uma boa situação socioeconômica, tendo em vista que seu pai é proprietário de uma concessionária de motos e de carros em Livramento. O MP-BA ainda apontou que Maiara Aparecida sempre residiu em área nobre da cidade daquele município.

Em contato com a Promotora de Justiça de Vitória da Conquista, Carla Medeiros dos Santos Santoro Nunes, o BLOG DA RESENHA GERAL foi informado que a setença contra a estudante saiu nessa quarta-feira (30). Maiara Aparecida Oliveira Freire foi condenada a 2 anos de prisão por Falsidade Ideológica. Como se trata de réu primária, a pena foi convertida em trabalhos comunitários e pagamento de multa no valor de um salário mínimo.

O juiz também comunicou a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia sobre a decisão, a quem caberá se a estudante terá sua matrícula cancelada.