Médica vítima de assalto melhora e se prepara para tratamento de fisioterapia

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 07 jan 2015

Tags:, ,

por Mateus Novais

DSC_1039O quadro de saúde da médica Neuzalinda Correia, vítima de um assalto em dezembro, apresentou considerável melhora. Em contato com o Hospital Samur, onde a médica está internada, o BRG foi informado que a paciente está se preparando para iniciar o tratamento de fisioterapia.

Ainda de acordo a unidade de saúde, a médica já se desloca com cadeira de rodas e será transferida para o Hospital Sarah Kubitschek, referência nacional em tratamento de pacientes com dificuldades motoras.

Os quatro disparos que atingiram Dra. Neuza provocaram uma lesão raquimedular grave, ou seja, um trauma envolvendo a coluna, que inspira maior cuidade por poder gerar uma lesão neurológica.

“Estamos lutando pela sobrevivência da paciente”, diz corpo clínico responsável por médica vítima de assalto

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 19 dez 2014

Tags:, , ,

por Mateus Novais

DSC_0111O corpo clínico do Hospital SAMUR, local onde está internada a Dra. Neuzalinda Correia, vítima de um assalto na última quinta-feira (18), concedeu entrevista esclarecendo o estado de saúde da paciente. De acordo com os médicos responsáveis pela Dra. Neuzalinda Correia, eles estão “lutando pela sobrevivência da paciente”.

O estado de saúde da médica é estável, como já vinha sendo informado pela imprensa. “Esse cenário tem sido positivo. A paciente encontra-se completamente consciente, sem necessidade de utilizar aparelhos para respirar. Ela sabe o que aconteceu com ela, sobre o assalto, os tiros e que está com déficit motor [dificuldades para se movimentar]”, esclareceram os médicos responsáveis pelo acompanhamento da paciente.

Os médicos responsáveis pelo acompanhamento da paciente (o neurologista Dr. Davi Tanajura e o neurocirurgião Dr. Gustavo Bilat, juntamente com o coordenador da UTI do hospital, Dr. Miquéias Martins) explicaram também que a médica teve quatro lesões por arma de fogo, um em cada braço e dois na costa. Os disparos que atingiu ela provocou uma lesão raquimedular. “É um trauma grave, com lesão grave. Ela está fora de possibilidade cirúrgica nesse momento. Estamos lutando pela sobrevivência da paciente”, esclareceram.

Dra. Neuza também apresenta sensibilidade nos membros superiores, porém os médicos esclareceram que somente no prazo de seis meses a um ano será possível dizer quais as reais sequelas o trauma irá deixar.

Sobre a necessidade de se manter a Dra. Neuza na UTI, o corpo clínico afirmou que “é muito mais questão de vigilância, para saber se há lesão concomitante ou que pode gerar lesões secundárias”. Os médicos também não sabem definir até quanto ela ficará na UTI. “Vai depender de como ela vai se comportar nos próximos dias”, finalizaram.

Hospital SAMUR anuncia coletiva sobre o estado de saúde de médica baleada em assalto

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 19 dez 2014

Tags:, , ,

por Mateus Novais

DSC_1039O estado de saúde da médica Dra. Neuza Correia, baleada durante tentativa de assalto em sua residência, será divulgado em uma coletiva nesta sexta-feira (19). Dra. Neuza está internada no Hospital SAMUR em quadro estável, mas, até o momento, a administração da unidade de saúde não forneceu nenhum boletim médico.

Segundo a administração do Hospital, a divulgação dos boletins depende da autorização da família. Sendo assim, uma coletiva foi marcada para às 18h, no próprio Hospital SAMUR, para esclarecer o real estado de saúde da médica.

Médica baleada segue na UTI do Samur sem cirurgia

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 19 dez 2014

Tags:, ,

da Redação

NeuzaA Dra. Neuza Correia, baleada durante tentativa de assalto em sua residência, nas proximidades da Av. Olívia Flores, segue internada na UTI do Hospital Samur. Segundo a repórter Mônica Cajaíba, da Resenha Geral – da Rádio Clube FM (95,9) -, o quadro da médica permanece estável e a administração do hospital não forneceu nenhum boletim médico. Essa possibilidade será analisada após consulta à família. A nossa reportagem foi informada ainda que a médica não foi submetida a intervenção cirúrgica  no local (coluna cervical)  afetado por disparos de arma de fogo. Ela já consegue conversar com a equipe médica, familiares e amigos.

A Polícia Civil permanece investigando o caso,  e até agora não foi possível precisar se os disparos que atingiram a Dra. Neuza foram das armas dos bandidos ou da própria Polícia Militar. Em um muro em frente a residência da vítima é possível observar marcas e perfurações de balas.