Conquista: ritmo crescente de homicídios cria cenário preocupante para o futuro

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Segurança | Data: 05 ago 2016

Tags:, ,

por Mateus Novais

DSC_0129

O relato de um jovem de 10 anos emocionou as pessoas que compareceram à Câmara Municipal de Vitória da Conquista, nessa quinta-feira (4). Durante uma audiência pública que discutia a violência, o garoto Alexandre Gomes relatou que este mal social tirou a vida de três pessoas de sua família: tio, tia e pai. A tia de Alexandre foi esfaqueada com 20 anos, seu pai foi assassinado com 25 anos e seu tio com 20, estes dois com arma de fogo. “O que faz uma criança sem seus pais? Onde está a lei? Cadê os direitos e a segurança?”, questionou Alexandre.

A emocionante indagação do garoto traz a tona o problema da violência que cerca a juventude conquistense. Dados consolidados da Secretaria de Segurança Pública apontam que, entre 2012 e 2015, foram registrados 513 homicídios no município – este número aumentará consideravelmente ao término de 2016, já que nos sete primeiros meses deste ano foram computados 115 mortes violentas. Os números envolvendo crianças e adolescentes também chamam muito a atenção. Nos últimos seis anos, 257 crianças e adolescentes foram executados por arma de fogo no município.

O ritmo crescente de homicídios preocupa e cria um cenário nefasto para o futuro. Segundo a projeção da coordenadora do Conselho Tutelar da Zona Leste da cidade, Juliana Mota, até 2040 ocorrerá mais de 6 mil homicídios em Vitória da Conquista, caso não haja ações que possibilitem a reversão do crescimento da violência. “Em Vitória da Conquista várias crianças e adolescentes têm seus direitos violados, em geral pela família e por instituições que deveriam resguardar a segurança”, afirma Juliana.

O especialista em criminologia, o coronel da Polícia Militar, Esmeraldino Correia, aponta uma média de 8,7 mortes de jovens a cada mil habitantes em Conquista. “No estado, estamos atrás apenas de Itabuna, Cariacica e Camaçari”. O coronel aponta problemas como baixa escolaridade, o uso e abuso de drogas, o isolamento da mulher, a desigualdade dentre homens e mulheres, acesso às armas e aceitação a violência, como importantes fatores sociais que colaboram para os números da violência.

Opnião: A saída de Dilma e o futuro do país

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 12 maio 2016

Tags:, , ,

por Ivan Cordeiro

IvanA saída da presidente Dilma estava sendo aguardada, com muita expectativa, pela maioria da sociedade brasileira que apoia o impeachment. O legado do governo petista levou o país a um quadro de recessão com mais de 10 milhões de brasileiros desempregados. A política econômica do Partido dos Trabalhadores, atrelada a um populismo irresponsável, gerou uma das maiores crises na história recente do país.

A chegada de Michel Temer na presidência aponta para uma melhora futura. Brasileiros e brasileiras aguardam agora a volta do crescimento econômico e um maior cuidado na condução das contas públicas. Contudo, não se pode esperar um milagre. É preciso ter paciência para o país sair da crise, todavia, não podemos perder a esperança de um novo tempo.

É urgente uma reforma administrativa. O PT teve tempo demais para fazer as mudanças necessárias e não foi eficiente. Inchou demais o Estado, com o aumento de ministérios e cargos comissionados. Agora é necessário reduzir o tamanho da máquina pública. Austeridade é a palavra certa para o momento. Significa um maior rigor no controle de gastos. Não há outro remédio para a recessão atual.

Por fim, não se pode negar que as manifestações populares foram fundamentais para o afastamento da presidente Dilma. A participação popular fortalece a democracia no país. Vale lembrar o que disse o ex-presidente Lula na ocasião do impeachment de Collor: “o povo brasileiro deu a demonstração de que é possível o mesmo povo que elege um político, destituir esse político. Eu peço a Deus que nunca mais o povo brasileiro esqueça essa lição”.