Diretor do Presídio Nilton Gonçalves confirma que alvarás liberam de 50 a 60 presos por mês

0

Publicado por Roberto Silva | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 20 nov 2013

Tags:,

da Redação

joir salaO diretor interino no Presídio Nilton Gonçalves, Joir Sala, confirmou a repórter Mônica Cajaiba, que libera de 50 a 60 presos por mês para atender os Alvarás expedidos pela Justiça. Essa média vem sendo mantida há vários meses, garante Sala. “Não houve aumento de alvarás de soltura, recebemos mais presos na unidade do que liberamos. Essa história de que 100 presos perigosos foram liberados não procede”, disse justificando que as liberações não ocorrem de maneira aleatória.

Os internos na unidade prisional de Vitória da Conquista ficam a disposição da Justiça aguardando julgamento e conclusões de processos. Os condenados são transferidos para penitenciárias na Bahia para o cumprimento da pena. Outros são colocados em liberdade pela própria Justiça quando são absolvidos de acusações que são analisadas e julgadas.

‘A construção da casa de acolhimento para adolescentes infratores é para ontem’, diz presidente do Conselho de Segurança de Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Polícia, Vit. da Conquista | Data: 11 jun 2013

Tags:, , , , , ,

Por Rodrigo Ferraz

joir salaSempre quando ocorrem crimes que envolvem jovens com menos de 18 anos um assunto vem à tona em Vitória da Conquista: a falta de uma casa de acolhimento para adolescentes infratores na cidade.

Em entrevista concedida a repórter Mônica Cajaíba, o presidente do Conselho de Segurança, Joir Sala, revelou que essa obra é ‘para ontem’.

Ele ainda destaca que alguns terrenos já foram doados para a construção da casa e revela que a situação de Conquista ‘é bem pior do que cidades pequenas’, já que em outros municípios existem delegacias que podem custodiar de forma provisória os jovens.

“O Conselho tem cobrado para que esse projeto tenha celeridade. Continuamos mobilizados, elaborando um documento que será encaminhado ao governador Jaques Wagner. As autoridades não têm muito o que fazer, até porque os adolescentes não podem ficar presos. É uma situação vexatória”.