Nova regra de privacidade é criada pelo WhatsApp para a entrada em grupos

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 04 abr 2019

Tags:, ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é PEL-1.gif

Da Redação

O WhatsApp anunciou novas regras de privacidade nesta semana. Agora para que o usuário possa ser adicionado em grupos, novos ou já existentes, ele deverá autorizar.  As mudanças começam a valer a partir desta quarta-feira (3) em atualizações para Android e iOS. 

De acordo com o aplicativo, as novas configurações possibilitam ao usuário escolher qual tipo de contato pode ou não adicioná-lo aos grupos. Com isso, o aplicativo afirma que os usuários terão mais controle das mensagens em grupo que irão receber.

Nova regra do cheque especial começa a valer em julho

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 29 jun 2018

Tags:,

da Redação
Fonte: Diário do Comércio / CDL (Reprodução)

Instituições financeiras vão oferecer uma opção mais barata para o correntista que utilizar 15% do limite da conta por 30 dias seguidos. Os consumidores não serão obrigados a aceitar a proposta e nada mudará para quem permanecer devedor

O cheque especial, que passou a ser a linha de crédito mais cara do sistema financeiro nacional, terá um novo funcionamento a partir de 1 de julho. As instituições financeiras vão oferecer uma opção mais barata para o correntista que utilizar 15% do limite da conta por 30 dias seguidos. Os consumidores, no entanto, não serão obrigados a aceitar a proposta e nada mudará para quem permanecer devedor.

A taxa média cobrada de pessoas físicas recuou de 321%, em abril, para 311,9% ao ano, em maio, conforme dados divulgados na quarta-feira, 27, pelo Banco Central. Já a taxa média de juros no crédito livre – que não utiliza recursos da poupança e do BNDES – ficou em 39,2% ao ano em maio, considerando todas as modalidades.

Assim, uma dívida de R$ 1 mil contraída na modalidade de cheque especial sobe para R$ 4.119,11 depois de 12 meses. Já no crédito pessoal, essa mesma dívida, após o mesmo período, ficaria em R$ 1.392,07, segundo cálculos da economista e planejadora financeira Paula Sauer, do Planejar. …Leia na íntegra

A partir do dia 3 de abril, cartão de crédito só pode cobrar rotativo por 30 dias

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 31 jan 2017

Tags:, ,

da Redação

Fonte: Estadão /CDLVC

Para baixar os juros do cartão de crédito, o governo determinou aos bancos que até o dia 3 de abril limitem o uso do rotativo – linha usada pelo cliente que não paga o valor integral da fatura – por 30 dias. Pelas novas regras, os clientes poderão ficar no rotativo, que tem as maiores taxas do mercado, somente até a data da liquidação da próxima fatura. Se a dívida não for paga, ela terá de ser transferida para outra modalidade de crédito, como o parcelado no cartão, que possui custo menor.

A mudança já havia sido anunciada no fim do ano passado pelo presidente Michel Temer e pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, como uma das medidas da agenda positiva do governo, para impulsionar a economia. Nesta quinta-feira, 26, com a resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN), foi dado o prazo até 3 de abril para os bancos colocá-la em prática.

A negociação sobre para qual linha a dívida do rotativo será transferida ficará a cargo dos bancos. A instituição pode automaticamente passar essa dívida para um crédito parcelado ou se apresentará ao cliente uma nova modalidade, desde que seja mais barata.

Atualmente, alguns bancos já oferecem aos clientes a possibilidade de migrar a dívida do rotativo para outras linhas com juros menores. Mas isso não é feito de maneira automática e depende de solicitação do cliente. Agora, depois de 30 dias no rotativo, os bancos têm de transferir o saldo que não foi pago para outra modalidade. “É uma operação de crédito e a decisão é facultada aos bancos”, disse o diretor de Regulação do Banco Central, Otavio Damaso, ao comentar a resolução do CMN. …Leia na íntegra

Nova regra não impede que cliente use cartão mesmo estando no rotativo, diz BC

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia | Data: 27 jan 2017

Tags:, , ,

Da Redação

A criação da nova regra que limita o uso do crédito rotativo do cartão não prevê nenhuma alteração do limite de crédito de cada cliente. A informação foi dada pelo diretor de regulação do Banco Central, Otávio Damaso. Segundo o diretor, se o cliente ainda tiver limite no cartão, poderá usar o meio de pagamento mesmo que tenha atingido os 30 dias de uso do rotativo e não tenha quitado a dívida.

“Se cumprir a regra, ele poderá continuar usando o cartão”, disse o diretor ao ser questionado se haveria instrumento que travaria o uso do cartão em casos de permanência por 30 dias no rotativo. “Nos 30 dias, ele tem de quitar o saldo devedor. Mas nada impede que continue usando o cartão.”

Ou seja, clientes que não conseguirem quitar o rotativo em 30 dias poderão entrar em situação de inadimplência, mas, se houver limite no cartão, poderão continuar usando o meio de pagamento para novas compras.

Damaso explicou que a regra anunciada pelo BC não altera o relacionamento entre instituição financeira e cliente. Assim, os bancos poderão continuar oferecendo o limite global como é realizado hoje. Normalmente, bancos oferecem limite global de crédito para o cliente dividido por várias linhas diferentes, como cartão de crédito, cheque especial, financiamento de veículos e crédito pessoal.

* Com informações do Estadão

Nova regra deve facilitar a realização de empréstimo por trabalhadores da iniciativa privada

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 31 mar 2016

Tags:, , ,

Da Redação

carteiradetrabalhoedinheiro_thumbNo Diário Oficial da União dessa quarta-feira (30), foi divulgada uma nova regra que pode facilitar o acesso de trabalhadores da iniciativa privada a empréstimos. Esse trabalhadores vão poder usar parte dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como garantia para empréstimos consignados (aqueles descontados em folha). O objetivo do governo com a medida é que a garantia diminua o risco de calote e, por isso, leve os bancos a baixar as taxas de juros para este tipo de operação.

A Medida Provisória 719 permite que  trabalhadores ofereçam ao banco que vai conceder o empréstimo até 10% do saldo da sua conta vinculada no FGTS, e até 100% do valor da multa rescisória devida a ele em caso de dispensa sem justa causa.

A medida deve entrar em vigor após o Conselho Curador do FGTS definir as taxas de juros e o número máximo de parcelas admitidas na operação, o que ainda não tem data marcada. Caberá à Caixa Econômica, que é a instituição financeira operadora do FGTS, estabelecer os procedimentos operacionais dessas transações.

O crédito consignado funciona no país desde 2003, mas, até então, essa linha de crédito beneficiava, principalmente, servidores públicos, aposentados e pensionistas do INSS. Trabalhadores da iniciativa privada têm dificuldades para acessar essa modalidade porque a rotatividade no setor privado é grande e eles não conseguem dar garantias de pagamento da dívida em caso de perda do emprego.