Pescaria é proibida em rio de Itambé após surgimento de lama escura e ao menos 100 mil peixes mortos

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 13 set 2021

Tags:, , , ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é banner-e2-engenharia.gif

Fonte:G1

A pescaria no Rio Verruga, na cidade de Itambé, município vizinho a Vitória da Conquista, está temporariamente proibida. As investigações apontam o surgimento de mais de 100 mil peixes mortos e água em tom escuro em trecho próximo à ponte da Rua Nova. Os primeiros casos aconteceram no dia 5 de setembro.

O rio nasce na Serra do Periperi, em Vitória da Conquista, e desagua no Rio Pardo, em Itambé, município vizinho. As secretarias do Meio Ambiente das duas cidades estiveram no trecho do rio que corta os municípios e coletaram amostras da água para fazer uma inspeção.

As amostras colhidas não apresentaram alteração, mas de acordo com o órgão ambiental de Itambé, os resultados preliminares confirmaram a presença de uma lama densa em um trecho abaixo da Serra do Marçal. O material ainda está sendo analisado e pescaria na região ficará proibida até a entrega do laudo.

A suspeita é que a lama esteja partindo da nascente do rio, em Vitória da Conquista, e seguindo o curso até Itambé. Também está sendo analisada a possibilidade de contaminação por esgoto no local.

“Essa lama, tudo indica que tenha causado a questão da mortandade dos peixes. Tudo indica que houve uma queda grande no PH da água, com isso os peixes ficaram sem oxigênio e recolhemos o material, notificamos o Inema e o Ministério Público”, disse o vice-prefeito de Itambé e também secretário do Meio Ambiente, Bruno Lopes.

A Secretaria do Meio Ambiente também prepara um laudo para saber o tamanho do impacto ambiental e espera o resultado da análise da lama para saber o que causou o problema. O material coletado foi levado para os laboratórios da Universidade Estadual do Sudoeste (UESB) e pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), que foi notificada para fazer a análise em todo o perímetro do rio.

Aterramento de milhares de peixes mortos às margens da lagoa, preocupa moradores de Paramirim

0

Publicado por Resenha Geral | Colocado em Saúde, Sudoeste | Data: 14 nov 2012

Tags:, ,

Da Redação

Estima-se que pelo menos 2 toneladas de peixes tenham morrido em uma semana. A prefeitura da cidade que fica a 275 km de Vitória da Conquista, recolheu os peixes e está aterrando os bichos às margens da lagoa.

A prefeitura de Paramirim está em fase de conclusão em relação ao aterramento dos milhares de peixes que morreram na lagoa da cidade. A preocupação da população agora é com o forte mau cheiro que toma conta da cidade e também que esse processo adotado possa vir a provocar riscos à saúde da população, uma vez que especialistas no assunto consideram a decisão do aterramento dos animais mortos às margens da lagoa como uma conduta equivocada.

Em entrevista a uma emissora de televisão, o prefeito da cidade, Júlio Bernardo, considerou os procedimentos adotados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente como normais. A prefeitura também informou que a provável causa da morte seria o baixo volume de água na lagoa e a pouca oxigenação. …Leia na íntegra

Milhares de peixes morrem em Lagoa da cidade de Paramirim

0

Publicado por Resenha Geral | Colocado em Saúde, Sudoeste | Data: 13 nov 2012

Tags:, ,

Da Redação

Os peixes começaram a aparecer mortos desde sexta-feira (09). Baixo volume de água e pouca oxigenação podem ter sido a causa da mortandade.

Trabalhadores contratados pela prefeitura de Paramirim, município que fica distante de Vitória da Conquista 275 km, continuam fazendo a remoção dos peixes que estão mortos na lagoa da cidade desde a última sexta-feira (09).  Moradores da cidade acreditam que o pouco volume de água da lagoa e a baixa oxigenação pode ter sido a causa da morte de milhares de peixe, em sua maioria tilápias. Devido a grande quantidade de animais mortos um forte mau cheiro se espalha pela cidade e concentra centenas de urubus no entorno da lagoa, moradores dizem que para comer, estudar e dormir, por exemplo, não tem sido algo fácil de fazer.

Em contato com alguns moradores de Paramirim, eles demonstram preocupação em relação a demora para a retirada dos animais mortos da lagoa e ainda com a sua destinação …Leia na íntegra