Vendas de Natal caíram 1% neste ano

0

Publicado por Roberto Silva | Colocado em Brasil, Economia | Data: 27 dez 2015

Tags:

BannerResenhaGeral_600x65px

Agência Brasil

comércio-1As vendas no período do Natal nos shopping centers brasileiros caíram 1% em 2015, já descontada a inflação, se comparadas com as do mesmo período do ano passado. O recuo é o maior registrado nos últimos 10 anos. O levantamento da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), divulgado hoje (26), não informa os valores das vendas do período natalino, apenas a variação em relação a 2014.

As vendas registradas durante todo o ano de 2015 nos centro comerciais, no entanto, superaram as de 2014 em 1,07%: totalizaram R$ 145 bilhões, ante R$ 143,47 bilhões no ano passado. Descontada a inflação, porém, as vendas foram de R$ 130,5 bilhões, uma queda de 2,82% no ano em relação a 2014, o maior recuo da última década. No entanto, considerado os valores deflacionados, as vendas de 2015, nos últimos 10 anos, só não foram maires que as de 2014 (R$ 134,29 bilhões).

…Leia na íntegra

SPC Brasil: vendas no Natal têm primeira queda em cinco anos

0

Publicado por Roberto Silva | Colocado em Brasil, Economia | Data: 28 dez 2014

Tags:,

Agência Estado

650x375_supermercado-compras_1451200As vendas a prazo na semana que antecede o Natal caíram 0,7% em relação ao ano passado e fizeram o comércio varejista registrar o Natal mais fraco dos últimos cinco anos, de acordo com o indicador do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), divulgado nesta sexta-feira, 26. No ano passado, as vendas nessa época do ano haviam crescido 2,97%.

O resultado negativo, na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, é reflexo do desaquecimento no varejo ao longo do ano, fruto de um cenário econômico com crédito mais caro, inflação alta e queda na confiança do consumidor. “A inflação pesou no bolso dos consumidores. Os juros estão mais elevados e os rendimentos dos trabalhadores já não crescem com tanto vigor como nos últimos anos, o que é fundamental para aquecer o consumo das famílias”, afirmou a economista, em nota.

…Leia na íntegra