Veja como será a reabertura do comércio em Brasília; Vitória da Conquista saiu na frente

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 18 Maio 2020

Tags:, , ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WhatsApp-Image-2020-04-27-at-15.51.14-1024x190.jpeg

da Redação com informações do site Metrópoles / DF

Ibaneis Rocha prorroga restrições do comércio em Brasília - Super ...

Em Brasília, a juíza titular da 3ª Vara Federal Cível do DF, Kátia Balbino de Carvalho Ferreira determinou abertura gradual de atividades comerciais e empresarias. O escalonamento prevê intervalos de 15 dias. A reabertura foi iniciada nesta segunda-feira (18/05).

As normas liberam operações de delivery, pronta-entrega em veículos e retirada do produtos no local, sem abertura do recinto para atendimento ao público em suas dependências.

Observe abaixo as tabelas com abertura gradual nos primeiros 15 dias, e após o prazo que corresponde a duas semanas.

A outra a abertura gradual após 30 dias, e após 45 dias.

Reabertura escalonada do comércio no DF até 15 dias
Reabertura escalonada do comércio no DF além dos 15 dias

Proteção

Na decisão a magistrada deixou claro que é fundamental garantir o fornecimento de equipamento de proteção individual a todos os empregados, colaboradores, terceirizados e prestadores de serviço.

O álcool em gel 70% para trabalhadores e consumidores é indispensável, bem como higienização do ambiente, aferição de temperatura e encaminhamento à rede de saúde das pessoas com sintomas da Covid-19.

Vitória da Conquista

O CGC – Comitê Gestor de Crise que foi criado por Decreto do prefeito Herzem Gusmão (MDB), está analisando sugestões que foram apresentadas pelo Conselho Consultivo, e outras que estão chegando ao órgão.

Os critérios para que o comércio varejista e atacadista de confecções, volte a funcionar, como calçados, livrarias, papelarias, armarinhos e bijuterias serão elaborados de acordo andamento da situação da pandemia.

A Prefeitura tem deixado claro que não deseja que Vitória da Conquista tenha que encarar um lockdown, ou até mesmo toque de recolher, como os verificados em Itabuna, Ipiaú, Jequié e Alagoinhas.

Conquista não parou

A Prefeitura tem sido responsável, e bem antes de Brasília, e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) determinar quais atividades essenciais estariam liberadas, por Decreto, o prefeito Herzem Gusmão liberou desde o iniciou da pandemia toda a cadeia produtiva da industria, construção civil e setor de auto peças e serviços.

As seguintes atividades comerciais já funcionam na cidade:

  • serviços de saúde, farmácias, assistência médica e hospitalar;
  • hipermercados, supermercados, mercados, feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, frigoríficos, granjas e todas os demais estabelecimentos relacionados a cadeia produtiva de gêneros alimentícios;
  • lojas de conveniência;
  • clínicas veterinárias, lojas de venda de alimentação para animais e de produtos indispensáveis para produção agropecuária, prevenção, controle de pragas dos vegetais e de doença dos animais.
  • distribuidores de gás;
  • lojas de venda de água mineral;
  • padarias;
  • geração, transmissão e distribuição de energia elétrica;
  • tratamento e abastecimento de água;
  • captação e tratamento de esgoto e lixo;
  • processamento de dados ligados a serviços essenciais;
  • segurança privada;
  • serviços funerários;
  • bancos, lotéricas e cooperativas de crédito;
  • postos de combustível e lava rápidos;
  • Lojas de material de construção, vidraçarias, marmoraria, serrarias, serralharias e todos os demais estabelecimentos relacionados a cadeia produtiva da construção civil;
  • Lojas de auto peças, borracharias, oficinas mecânicas e demais estabelecimentos relacionados a manutenção de veículos automotores;
  • Concessionárias de veículos;
  • Hotéis e pousadas;
  • outros que vierem a ser definidos em ato expedido pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos ou Secretaria Municipal de Saúde.

Os comentários estão encerrados.