Viação Vitória perde contrato e abre caminho para Cidade Verde que já opera com 126 ônibus

0

Publicado por Editor | Colocado em transporte, Vit. da Conquista | Data: 29 ago 2018

Tags:, , ,


banner alfa park

da Redação
Com informações da Secom

Enquanto seguimentos da oposição tentam tumultuar a cidade com bloquei de ruas, e pedido de CPI, o prefeito Herzem Gusmão (MDB), foi rápido e resolveu o problema de transporte coletivo na cidade.

O cancelamento do contrato com a Viação Vitória foi oficializado  pela administração municipal e a Viação Cidade Verde já opera as linhas do Lote 1. Já são 126 ônibus circulando pela cidade.

Em apenas duas semanas, a empresa estará com um total de 170 veículos em circulação, cobrindo todas as linhas que eram de responsabilidade da Viação Vitória. A novidade é que a Prefeitura autorizou a circulação de micro-ônibus que já estão integrados na frota. Vão circular de forma gratuita por chácaras no bairro Lagoa das Flores, facilitando a locomoção das pessoas que moram mais distantes dos principais pontos de ônibus.

Atitude

Com coragem e atitude, o Governo Municipal agiu rápido após ter lacrado 74 ônibus da Viação Vitória – que estavam colocando em risco a segurança de passageiros e da população. “Nós recebemos o transporte em sua situação gravíssima, mas já resolvemos o problema e a cidade já sente a normalização do transporte. Através de um decreto de emergência, estamos permitindo que a Cidade Verde opere todas as linhas da Vitória. Ontem eu estive na garagem da empresa acompanhando de perto, quando chegaram mais 10 ônibus”, informou o prefeito Herzem Gusmão ao site da PMVC.

O diretor da Cidade Verde, Sérgio Ubner, conta ainda outras novidades: “Estamos ampliando a garagem, alugando uma estrutura aqui ao lado, onde já funcionou uma empresa de ônibus no passado, para poder ter condições melhores. Estamos recontratando algumas pessoas, contratando uma parte dos funcionários da Viação Vitória. Já estamos chegando a quase 100 pessoas, acostumados a lidar com os clientes daquela região, onde operava a outra empresa”.

 

Os comentários estão encerrados.